OK

Copyright TodoDia Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito do TodoDia Online.

Close

Sócios pedem mais tempo para análise

Esportes

09/08/2018-21:41:18 Atualizado em 09/08/2018-21:30:30
Divulgação | Guarani Press
PALMERON | Prazo em aberto

O presidente do Guarani, Palmeron Mendes Filho, afirmou ontem ao TODODIA que a assembleia de sócios marcada para o dia 13 de agosto não terá mais como pauta principal a escolha do novo comandante do departamento de futebol. A resolução agora é que tanto Roberto Graziano quanto Nenê Zini, empresários interessados em assumir, apresentem suas propostas aos associados e posteriormente uma nova assembleia seja marcada para a tomada de decisão final.
O dirigente admitiu que o plano inicial era de que a assembleia tivesse o propósito de escolha, mas o apelo dos sócios fará com que o roteiro seja alterado. "Inicialmente seria mesmo (para escolher a empresa terceirizada). Mas muitos sócios pediram mais tempo para análise. Em razão disto decidimos fracionar a assembleia. No dia 13, apresentam-se as propostas. Depois vamos abrir o tempo necessário para os esclarecimentos. Quando não houver mais dúvidas, convocaremos outra assembleia para a votação", afirmou o dirigente, que não estipulou data para a convocação decisiva.
A segunda convocação será feita pelo Conselho Deliberativo ao ser provocado pelo Conselho de Administração. Se o Conselho Deliberativo recusar-se a tomar atitude, o estatuto do clube permite que o Conselho de Administração faça a convocação da assembleia de sócios.
A decisão surgiu após uma série de fatos que forçaram uma mudança de posição do Conselho de Administração. Um deles foi a denúncia do ex-presidente do clube, Horley Senna, apontando que os ex-funcionários Anaílson Neves e Lucas Andrino teriam pagado mensalidades para sócios com fins políticos, o que eles negam. A reunião do Conselho Deliberativo de ontem não tinha terminado até o fechamento desta edição. O presidente do conselho e ex-presidente do Bugre, Edinho Torres, não quis se pronunciar sobre o assunto.
| ELIAS AREDES