OK

Copyright TodoDia Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito do TodoDia Online.

Close

Mão na massa

Cultura e Entretenimento

FOLHAPRESS SÃO PAULO | 09/08/2018-21:42:46 Atualizado em 09/08/2018-21:30:42
Divulgação | SBT
confeiteiros | Nova temporada estreia neste sábado

Após temporada de dez anos na GNT - sua segunda fase na emissora paga, onde estreou em 1998 -, o padeiro e chef de cozinha franco-brasileiro Olivier Anquier, 58 anos, volta à TV aberta. Ele será jurado do reality culinário "Bake Off Brasil -Mão na Massa" (SBT), ao lado da chef confeiteira Beca Milano. Nadja Haddad é a nova apresentadora do semanal, que estreia a quarta temporada neste sábado, às 22h15.
Na nova missão, Olivier promete dar um toque francês ao estilo dos competidores, que devem preparar confeitos variados. A atividade remete ao início da trajetória do chef, que cresceu na padaria da família, na França, e está há quase 40 anos no Brasil.
Mas sua função, no reality, será orientar e avaliar os participantes. "Minha ideia é ajudar os competidores e também os telespectadores a melhorar os seus costumes", diz, referindo-se à alimentação do brasileiro. Como exemplo, cita o alto consumo de açúcar, que diz interferir no paladar.
"Quero despertar a curiosidade deles para sair da mesmice. Estamos em um país novo, em plena construção. Podemos incorporar novas influências e transformá-las em uma identidade própria."
Companheira de cena, Beca Milano é só elogios ao francês. "Em um episódio, ele dá uma aula que deixa todos de boca aberta. Ele mostra várias técnicas novas, é imperdível."
Na televisão, Olivier já ensinou receitas e explorou a culinária mundial. Comandou, ainda, o reality "Cozinheiros em Ação".
RETORNO À TV ABERTA
No ar, na maior parte do tempo, em canais pagos, esta é a volta do chef à TV aberta. "Minha última experiência nela foi até 2007, na Record. O alcance é muito diferente do de canais por assinatura", diz.
Sua primeira oportunidade em uma emissora paga surgiu há 20 anos, na GNT.
"Entrei bem no início da Globosat, quando ela tinha cerca de 5.000 assinantes. Hoje, já passam dos 20 milhões. Mas é claro que o SBT tem uma presença muito maior em todo o Brasil, e isso vai me proporcionar de volta uma presença mais consistente de público.