OK

Copyright TodoDia Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito do TodoDia Online.

Close

Nova 'CEI da Saúde' é instaurada

Cidades

FRANCISCO LIMA NETO AMERICANA | 09/08/2018-22:06:09 Atualizado em 09/08/2018-21:57:14
Arquivo| TodoDia Imagem
NOVA| 13 vereadores assinaram a CEI da Má Gestão do Hospital

Os vereadores de Americana instauraram uma nova CEI (Comissão Especial de Inquérito) para apurar supostas irregularidades no Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi e na Fusame (Fundação de Saúde de Americana). Treze, dos 19 parlamentares assinaram o documento de abertura da chamada "CEI da Má Gestão do Hospital".
O vereador Welington Rezende (PRP) é o presidente da comissão e afirmou que ela será diferente da CEI que terminou em julho sem a votação do parecer. "A outra estava investigando a OS (Organização Social) que prestava o serviço. A nossa não. A nossa é por conta das vistorias que fizemos no hospital. Verificamos que o atendimento continua ruim. O governo está investindo 37% (do orçamento) e o retorno não está vindo. O atendimento não é de acordo com o que as pessoas deveriam ter", explicou.
Ele ressaltou que existe um parecer técnico do TCE (Tribunal de Contas do Estado) fazendo apontamentos de irregularidades na Pasta. "O parecer aponta que a Fusame tinha 100% de dívida ativa e agora tem 400%. Precisamos observar o que está acontecendo. Foi investido dinheiro e a dívida aumentou?", questionou.
Ainda segundo o vereador existe acúmulo irregular de cargo, com pessoas trabalhando na prefeitura e na Fusame ao mesmo tempo. Além disso, a ordem cronológica de pagamentos estaria sendo quebrada e os encargos sociais deixando de serem recolhidos. "Vamos trabalhar seriamente e apontar as falhas", destacou Rezende.
Ainda de acordo com ele, os trabalhos serão rápidos. "Vamos verificar documentação in loco e ter poucas oitivas. Tendemos a fazer com rapidez para apresentar os dados com rapidez, mas é difícil falar em prazo. Deve ser entre 90 e 120 dias, vai depender do andamento da apuração dos fatos", avaliou.