OK

Copyright TodoDia Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito do TodoDia Online.

Close

Deinter estuda implantação de botão do pânico em Americana

Cidades

andré thieful americana | 09/08/2018-21:39:42 Atualizado em 09/08/2018-21:30:23

O botão do pânico para mulheres vítimas de violência deve ser instalado pela Polícia Civil de Americana. A medida está em estudo, mas já foi tratada em reunião na sede do Deinter 9 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior), em Piracicaba.
Participaram do encontro com o diretor do Deinter, Antonio Luis Tuckumantel, a delegada secional de Americana, Marta Rocha, e a titular da DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), Regina Castilho.
A iniciativa será viabilizada com a participação de outros poderes, como a prefeitura, por exemplo, que disponibilizaria o serviço Guarda Amiga, da Gama (Guarda Municipal de Americana), para o funcionamento em conjunto com o programa.
O botão do pânico será disponibilizado apenas com autorização da Justiça e para mulheres com medidas protetivas. Ainda assim, ela deverá passar por treinamento com assistente social e psicóloga.
O equipamento em formato de controle remoto de portão eletrônico, quando acionado, emite um sinal para um telefone receptor previamente cadastrado. A partir do acionamento, o dispositivo grava em áudio tudo que ocorre ao redor.
"A mulher que receber esse equipamento deve carregá-lo com ela. Se o agressor chegar perto e o botão for acionado, a guarda deverá chegar num período de 3 a 9 minutos", explicou a delegada Regina.
Questionada, a Gama informou por meio da assessoria de imprensa que está à disposilção da Polícia Civil e que não foi comunicada da possibilidade de implantação do programa.
INQUÉRITOS
No primeiro semestre deste ano, 390 inquéritos foram instaurados na DDM de Americana. Em Santa Bárbara dOeste, foram instaurados nesse mesmo período 491 inquéritos e, em Sumaré, 324 inquéritos. De acordo com as delegadas Regina Castilho, que responde pela DDM de Americana e Sumaré, cerca de 75% do total de inquéritos instaurados são de violência contra mulheres. A delegada Olívia dos Santos Fonseca, da DDM de Santa Bárbara, informou que lá são 75%.