OK

Copyright TodoDia Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito do TodoDia Online.

Close

Pedágios e férias escolares

A sua opinião

Alberto Alves Marques | Coordenador da Área de Ciências Humanas na Rede Pública do Estado de SP - 05/07/2018-22:38:42 Atualizado em 05/07/2018-22:38:30

À luz da reflexão, muitos leitores devem estar pensando, qual a conexão entre o aumento dos preços dos pedágios e as férias escolares. Diga-se de passagem, é difícil fazer uma articulação entre ambos, porém, ao analisar esse fato dentro da órbita Capitalista, cujo lucro é imprescindível para a sua manutenção, existe uma sinergia entre ambos, pois devido a flexibilidade desse sistema político/econômico tudo vale em prol do lucro.
Segundo o economista escocês Adam Smith, pai do Liberalismo Econômico e escritor do livro "Uma investigação sobre a natureza e a causa da riqueza das nações", o Estado não deve intervir no mercado, e foi seguindo essa linha de raciocínio que o escritor escreveu e deixou claro em seus pensamentos que o Capitalismo tinha vida própria.
De acordo com Smith: "[...] a riqueza das nações resultava da atuação de indivíduos que, movidos apenas pelo seu próprio interesse (self-interest), promoviam o crescimento econômico e a inovação tecnológica".
Na verdade, o aumento dos preços dos pedágios ocorrem para atender os interesses de grupos particulares que pertencem ao Capitalismo Hodierno, sem interferência do Estado, outrossim, nessa lógica ganham o Estado e a Concessionária que adiministram as rodovias, obviamente perdendo o contribuinte pagador de impostos. Obviamente, algumas rodovias são de ótima qualidade, mas e os preços, às vezes, não são exorbitantes?
Agora, muita gente ainda deve estar perguntando qual a articulação entre esse aumento e as férias escolares? Então vamos lá, grosso modo, o Liberalismo é uma corrente política/econômica que não aceita a intervenção do Estado na economia, sendo assim, o Capitalismo flui livremente, ou seja, os donos do capital (nesse caso os donos das Concessionárias que administram as Rodovias) agem livres para aumentar preços dos seus produtos sem a intervenção do Estado (Governo).
Considerações finais: Agora sim, concebemos a relação entre ambos: o aumento dos pedágios aparece no período das férias, simplesmente porque nesse momento ocorre um aumento de viagens devido ao descanso escolar, fazendo com que os capitalistas aproveitem disso, em outras palavras, o aumento está articulado com a quantidade de carros que passam nos pedágios.
Reflexão: Se o funcionamento do Capitalismo está articulado com a Lei da oferta e da procura, ou seja, quando maior for a circulação de um produto no mercado, menor será o seu preço, o aumento dos pedágios nas rodovias brasileiras contrapõe essa teoria, sobretudo, perante a quantidade astronômica das praças de pedágios.
Dessa forma, quando se tem como objetivo o enriquecimento de poucos, até mesmo a Lei da oferta e da procura é refutada. Boas férias e boa viagem!