OK

Copyright TodoDia Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito do TodoDia Online.

Close

O aproveitamento da década

Esportes

ELIAS AREDES CAMPINAS | 10/07/2018-22:20:46 Atualizado em 10/07/2018-22:08:37
Divulgação | PontePress
BRIGATTI | Apesar dos números favoráveis, ainda não foi efetivado

O aproveitamento de João Brigatti na atual gestão da Ponte Preta lhe fornece mais subsídios para carimbar a sua permanência no cargo. Por enquanto, foram 14 pontos conquistados pelo ex-goleiro em sete jogos (4 vitórias, 2 empates, 1 derrota), com 66% de aproveitamento, a melhor performance nesta década.
Para se ter uma ideia, basta dizer que Doriva saiu do clube e teve um aproveitamento de 33,3%. O único profissional com desempenho parecido foi Alexandre Gallo, demitido por telefone pouco antes do Campeonato Brasileiro de 2016, e que até aquele momento tinha aproveitamento de 64% em 12 confrontos, Já Felipe Moreira, atualmente técnico do sub-20, está com 63% de aproveitamento.
Em relação aos outros treinadores com longa permanência, os números de Brigatti são bem melhores. Na sua primeira passagem, durante o ano de 2011 até setembro de 2012, Gilson Kleina dirigiu a Macaca em 115 jogos e faturou 51% dos pontos disputados.
Guto Ferreira, por sua vez, trabalhou na primeira vez e ficou com 55,30% em 41 partidas e depois um percentual de 57,07% em 66 partidas. Na sua última passagem pelo Majestoso, em 2017, Kleina teve aproveitamento de 44,14% em 37 partidas.
Apesar dos números favoráveis, o treinador não teve sua efetivação definida pela diretoria. O próximo desafio será no sábado, contra o São Bento, no estádio Walter Ribeiro, em Sorocaba.
Na última partida contra o Fortaleza, Brigatti teve o retorno do volante João Vitor, que foi elogiado.
"O João Vitor não foi comprado pela a Ponte à toa: ele é um excelente jogador, um cara que comanda a equipe, fala muito com o restante do time e se posiciona muito bem. Ele teve uma lesão muito séria, ficou praticamente um ano parado e a gente teve que ter paciência com ele, mas agora com mais tempo de treinamento conseguimos dar uma melhor forma para ele e esses jogos picados de final de semana dão mais tranquilidade para podermos recuperá-lo e ao mesmo tempo dar treinamento para ele", afirmou Brigatti.