OK

Copyright TodoDia Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito do TodoDia Online.

Close

Policial Militar morre após acidente de trânsito

Cidades

12/07/2018-21:54:58 Atualizado em 12/07/2018-21:45:14
Reprodução| Facebook
Brito| Trabalhou em S. Bárbara

O policial militar Luiz Henrique Brito, 28, morreu ontem de manhã no Hospital de Base de São José do Preto, onde estava internado desde que sofreu um acidente automobilístico há dois meses, em Votuporanga.
O policial atuou no 19º BPM/I (Batalhão de Polícia Militar do Interior), sediado em Americana, entre 2013 e 2015. De acordo com o major Rogério Takiuchi, o policial se apresentou no Batalhão em 8 de abril de 2013, logo após concluir o Curso Superior de Polícia. Ele passou a trabalhar na companhia de Santa Bárbara D'Oeste.
"Em 18 de Maio de 2015, os pelotões de Forca Tática de Santa Barbara e Americana foram centralizados na Companhia de Força Tática em Americana, onde ele trabalhou até 13 de Maio de 2016 quando foi transferido", explicou.
O acidente que provocou a morte do policial aconteceu na madrugada do dia 11 de maio na rodovia Euclides da Cunha, em Votuporanga, cidade onde ele morava atualmente. Brito estava no banco do passageiro de um carro que era conduzido por outro policial militar.
Em determinado momento, o motorista perdeu controle e o veículo capotou. Os dois foram socorridos e levados, inicialmente, para a Santa Casa de Votuporanga, o motorista com ferimentos leves, mas Brito em estado grave.
Por esse motivo, ele foi transferido para São José do Rio Preto, onde ficou internado, mas não resistiu.
"A perda de uma pessoa deste nível vai muito além da vida cujo valor e inestimável, porque o trabalho prestado por ele para a sociedade paulista irá demorar anos até ser feito por outro profissional", disse o major Takiuchi. O policial estava lotado, atualmente, no Caep (Companhia de Ações Especiais) da Polícia Militar, em São José do Rio Preto. | ANDRÉ THIEFUL