OK

Copyright TodoDia Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito do TodoDia Online.

Close

Comércio prevê vender menos

Cidades

ANDRÉ ROSSI REGIÃO | 13/06/2018-19:52:48 Atualizado em 13/06/2018-19:45:00
Luciano Claudino/Codigo19
VAI TER CORAGEM ?| Mercado reduziu expectativa de crescimento nas vendas para a Copa deste ano

A Copa do Mundo de 2018 deve movimentar R$ 75 milhões no comércio da RMC (Região Metropolitana de Campinas), o que representaria uma queda de praticamente 50% em relação à Copa de 2014, que movimentou R$ 150 milhões. Os dados são da Acic (Associação Comercial e Industrial de Campinas).
De acordo com o economista e diretor da associação, Laerte Martins, a queda poderá ser sentida em todas as vendas de bens e serviços, TV's e materiais esportivos. O setor hoteleiro também está incluso no cálculo; este com a ressalva de que o País recebeu turistas de todo o mundo para a Copa de 2014.
"Essa redução com 2014 está impactada pela atual crise econômica que passa o País, afetando negativamente o poder de compra dos consumidores, tendo em vista as elevadas taxas de juros e da inadimplência, apesar da redução do índice inflacionário, atual", explicou Martins.
TELEVISORES
Tradicionalmente beneficiada pelo maior evento do futebol mundial, a venda de televisores deve registrar queda na RMC após duas copas de crescimento. Em 2010, durante a Copa da África do Sul, a venda de TV's teve elevação de 40%, o que representava 40.500 aparelhos. Já na Copa de 2014, realizada no Brasil, o crescimento foi de 23,5% em relação a 2010, com a venda de 50 mil aparelhos.
Agora, na Copa da Rússia, a estimativa é que 41.900 aparelhos sejam vendidos. Apesar de o número ser 3,5% superior ao da Copa de 2010, a queda em relação a 2014 deve ser de 16,2%.
Apesar da estimativa negativa, a gestora do Magazine Luiza de Americana, Leonita Teixeira, afirma que a procura está dentro do esperado. "Televisor 4K e de tela grande, acima de 50 polegadas, são os mais procurados. A gente sente que é por conta da Copa mesmo. A procura está grande, mais ou menos dentro do que era esperado", analisou.