OK

Copyright TodoDia Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito do TodoDia Online.

Close

'Governo não mudará política de preços para reduzir gasolina'

Brasil e Mundo

FOLHAPRESSBRASÍLIA | 04/06/2018-21:43:37 Atualizado em 04/06/2018-21:45:57
Agência Brasil
Preços | Petrobras debate forma de reajuste da gasolina

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou ontem que o governo federal não irá mudar a política de preços da Petrobras para reduzir os preços da gasolina e do botijão de gás.
Segundo ele, a mudança no valor da gasolina seguirá baseada na variação do dólar e na cotação do petróleo. Em Brasília, o litro da gasolina é vendido por R$ 5 e o gás chega a R$ 80.
"O governo não interfere na política de preços da Petrobras. Ponto", disse. "Diminuir o preço da gasolina só com a política de preços da Petrobras. O petróleo e o dólar caíram hoje, então, esses são os fatores que vão determinar a variação", acrescentou.
Perguntado, o ministro afirmou ainda que o Palácio do Planalto não avalia neste momento conceder um acréscimo no programa Bolsa Família para financiar a compra de botijões de gás para as famílias mais pobres.
Apesar de parcela do governo defender uma troca, Padilha disse que a ideia é manter Ivan Monteiro à frente da Petrobras.
O Congresso Nacional também não vislumbra um cenário de queda de preços de gasolina, etanol e gás de cozinha. Para os presidentes do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a margem de manobra orçamentária é muito pequena para atuar na redução do patamar.
REVISÃO
Assim como ocorreu com o gás de cozinha e com o diesel, a Petrobras sinalizou ao governo que aceita debater a revisão da política de reajuste diário do preço da gasolina, desde que a cotação internacional do combustível continue a servir de referência para o preço no mercado interno.
Outra condição, segundo pessoa próxima às negociações ouvida pela reportagem, é que a estatal seja protegida contra importações caso o preço no exterior fique mais baixo do que o praticado no Brasil.
Segundo fonte, a avaliação é que a mudança não representaria uma novidade total na política da empresa, já que o preço do gás de cozinha residencial, desde janeiro deste ano, passou a ser atualizado trimestralmente, em vez de mensalmente.
PODER DE POLÍCIA
O ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), Sérgio Etchegoyen, afirmou ontem que o governo federal utilizará todo o poder de polícia que detém para garantir que o óleo diesel tenha desconto de R$ 0,46 nos postos de gasolina.
Segundo ele, a BR Distribuidora já adotou a redução do preço em todo o seu estoque de combustíveis, mas ainda é possível que o desconto não tenha chegado a alguns pontos de venda.
Apesar do esforço do presidente Michel Temer, a redução não tem sido adotada por todos os postos, o que levou o Palácio do Planalto a anunciar uma rede de fiscalização para coibir a cobrança de preços abusivos.