OK

Copyright TodoDia Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito do TodoDia Online.

Close

Gabinete de crise

Opinião

Marcio Rogério | Assessor parlamentar - 28/05/2018-22:40:04 Atualizado em 28/05/2018-23:30:14

Os últimos dias vividos por nós brasileiros têm sido com bastante intensidade. A greve dos caminhoneiros trouxe uma grande instabilidade, serviços básicos sendo comprometidos pelo desabastecimento, falta de gasolina, postos fechados, pessoas lutando por um litro de gasolina e a falta de alimentos em supermercados já é uma realidade.
Em meio a tudo isso podemos tirar nobres lições.
Não sou contra a nenhum tipo de manifestação por direitos e cobranças por melhorias, nesse caso específico, valorizamos ainda mais o trabalho de quem vive praticamente a vida sobre rodas nas estradas.
Isso fez com que os governos federal e estadual se movessem de alguma maneira, afinal, pistas bloqueadas e refinarias fechadas geram um grande transtorno para qualquer um que esteja à frente do país ou estado.
Reuniões e mais reuniões acontecem de manhã, tarde, noite e madrugada. Ligações, pronunciamentos e, um dos termos mais ouvidos, mesmo por quem é leigo politicamente e que chama bastante a atenção é "Gabinete de crise".
Um pequeno grupo, levantado por quem está à frente dos comandos de nosso país, se reúne de portas fechadas para discutir os próximos passos, como, por exemplo, prosseguir mediante a grande crise. São responsáveis em absorver os efeitos da "crise" e, com muita racionalidade, sabedoria e responsabilidade (pelo menos é o que se espera), o "gabinete de crise" é composto por pessoas que precisam resolver, acalmar, mudar, melhorar e ajudar na direção da próxima ação.
Mais uma lição que podemos "absorver" do que estamos vivendo hoje é que precisamos também do nosso "Gabinete de crise".
Vemos e ouvimos muitas coisas, problemas, dificuldades, conselhos, palpites, tristezas e alegrias, precisamos e devemos observar as "vozes exteriores", assim como nossos governantes precisam e devem ouvir a voz das ruas, do povo trabalhador que paga seus impostos, pais de família que dão um duro danado pra sobreviver mesmo mediante a tantas dificuldades. Nós também devemos ouvir o que vem de fora, mas, como o gabinete de crise, devemos reter apenas o que é bom. O que não for, podemos descartar.
No final do dia, somos nós e nossos "gabinetes de crise", dias corridos e grandes responsabilidades. Será que estamos conseguindo entender nossas crises?
Quando se levanta o gabinete de crise se espera, no mínimo, sabedoria e calma para administrar os problemas externos e não pessoas vulneráveis sem o mínimo de prudência.
Nossos gabinetes de crise precisam ser exatamente assim, não podemos administrar de qualquer maneira nossas vidas.
A diferença entre o nosso gabinete e o gabinete criado por nossos governantes, é que o deles são várias cabeças e em nosso gabinete somos nós e o Dono da vida. Pense, absorva, retenha o que faz bem. Prepare seu gabinete, feche as portas, ouça o que vem de fora, mas não se esqueça que em seu "gabinete de crise" o responsável é você!