OK

Copyright TodoDia Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito do TodoDia Online.

Close

Precisamos conhecer esta data

Opinião

Luiz Octavio de Lima | Jornalista - 24/05/2018-00:31:39 Atualizado em 24/05/2018-18:00:46

Após o dia 23 de maio de 1932, São Paulo não foi mais a mesma. A data foi o estopim para a maior Guerra Civil Brasileira, que mobilizou todas as classes sociais, e até aproximou adversários políticos de décadas. Um dia e uma avenida que muitas vezes não são lembrados como deveria.
Na ocasião, uma manifestação ganhou a participação de grandes parcelas da sociedade que se transformaram em ativistas incansáveis, como a classe média e os alunos da Faculdade de Direito do largo de São Francisco. Ainda, ganhou proporção suficiente para ser propagado pelos editoriais da imprensa e por transmissões de rádios.
"Acendemos o pavio! Ou sai a Constituição ou a coisa explode!", berravam pela rua.
Incêndio, trincheiras, feridos, até que no dia seguinte constataram que o pior havia acontecido, a morte dos militantes Mário Martins de Almeida, o auxiliar de cartório Euclydes Bueno Miragaia, de 21 anos, e o comerciante Antônio Américo de Camargo Andrade, de 30 anos. Dráusio Marcondes de Souza, ajudante de farmácia, com apenas 14 anos, socorrido em estado grave, morreria cinco dias depois.
"Assim, dos escombros que se espalhavam pelo centro da capital após aquela noite de combates, o movimento paulista contra o Governo Provisório, pela Constituinte e pela autonomia administrativa do estado ganhava seus mártires."
Os acontecimentos deste dia deram origem a muitos outros, como a formação do movimento M.M.D.C., e muitas marcas famosas e conceituadas apoiaram, como os Correios e o Leite Moça. Uma data que precisa ser conhecida por todos e que fez muita história para a constituição do país.