OK

Copyright TodoDia Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito do TodoDia Online.

Close

Alisson fala sobre Real e Liverpool

Esportes

01/05/2018-19:05:34 Atualizado em 01/05/2018-19:03:30

Um dia antes da semifinal da Liga dos Campeões, o goleiro Alisson, da Roma e da seleção brasileira, disse que ficou feliz ao saber que seu nome interessa ao Real Madrid e ao Liverpool.
Em entrevista ao jornal italiano Gazzetta dello Sport, o gaúcho afirmou que não sabe o que acontecerá na janela de transferência do verão europeu.
"Lógico que o interesse me faz ficar feliz. Eu digo que não é apenas uma questão de necessidade. Eu sei o meu valor -não em dinheiro, mas como jogador. Sei o que trago para a equipe, mas penso apenas no presente. O que vai acontecer depois deixamos para depois. Estou aqui e, para jogar bem, tenho que me concentrar nisso. Mesmo quando estava no Internacional tive negociações com a Roma, mas me concentrei em jogar bem."
A imprensa italiana já noticiou o interesse dos ingleses, mas o presidente da Roma também já manifestou a vontade de manter o goleiro titular da seleção brasileira, considerado um dos melhores jogadores do time.
Nesta quarta, 2, a Roma recebe o Liverpool no jogo de volta da semifinal da Liga dos Campeões e precisava reverter uma derrota por 5 a 2 na ida. O goleiro disse que Mohamed Salah, destaque do time adversário, já está em um patamar próximo ao de Lionel Messi na Europa.
"Messi é o jogador mais forte que eu joguei contra, mas agora Momo [Salah] é temido como o argentino. Com a temporada que ele está fazendo, ele pode competir pela Bola de Ouro, ou pelo menos alcançar os três primeiros."
Alisson também comentou as possibilidades do Brasil na Copa do Mundo e apontou a Alemanha como seleção favorita: "Se queremos vencer, precisamos estar prontos para qualquer coisa. Nós nos preparamos muito bem. Sabemos que temos qualidade, mas os primeiros favoritos são os alemães. A Espanha é sempre forte, e a Argentina, quando chega o momento decisivo, cresce. Lamento que a Itália não esteja lá, mas para nós significa ter um adversário perigoso a menos". | FOLHAPRESS