OK

Copyright TodoDia Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito do TodoDia Online.

Close

Escolta garante abastecimento

Cidades

FRANCISCO LIMA NETOREGIÃO | 29/05/2018-22:45:59 Atualizado em 30/05/2018-00:14:12
Divulgação | Prefeitura de Campinas
escolta | Guarda Municipal de Campinas escoltou caminhões

Campinas teve ontem uma megaoperação para tentar garanto abastecimento dos postos de combustíveis da região. Um comboio com homens do Baep (Batalhão de Ações Especiais de Polícia), do Choque e Polícia Militar Rodoviária foi até a Região da Replan (Refinaria de Paulínia) para negociar com manifestantes. Além dos policiais, viaturas da GM (Guarda Municipal) ficaram esperando em Campinas para escoltar os caminhões até os postos.
O comboio foi acionado porque os caminhoneiros que estão estacionados na rodovia, na região da Replan estavam bloqueando o fluxo na via para verificar as notas ficais de todos os caminhões que saíam carregados para conferir se o produto seria utilizado apenas para o abastecimento dos serviços essenciais e não para a livre comercialização.
Após negociações do Baep com os manifestantes, as carretas foram liberadas para sair com os combustíveis. "Alguns caminhões já saíram. Essa operação tinha a primeira finalidade negociar com os caminhoneiros. Nós conseguimos negociar com os caminhoneiros, eles entenderam a situação, então nós estamos liberando a saída de combustível hoje (ontem)", disse Marci Elber, comandante do Baep.
De acordo com ele, os caminhões estavam saindo sob escolta. "Nós temos vários caminhões para sair sob escolta. Alguns estão saindo para outas regiões, mas o principal é atender a população de campinas e região. Estamos com uma força grande de policial especializado, Baep, Polícia Rodoviária, Choque, mas a negociação foi o suficiente até o momento", finalizou.
Trinta a cinco viaturas da Guarda Municipal ficaram na Avenida Lix da Cunha, na altura do Trevo da Bosch, aguardando os caminhões carregados de Paulínia para fazer a escolta até os postos. "Recebemos uma solicitação do Baep para que acompanhássemos cerca de 80 caminhões que vindos de Paulínia para abastecer os postos de combustíveis em Campinas.
LIMINAR
O Recap (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Campinas) conseguiu ontem, no começo da noite, uma liminar na Justiça para garantir o abastecimento dos postos da região. A decisão favorável foi concedida pelo juiz André Pereira de Souza contra "caminhoneiros não identificados".
De acordo com o magistrado, "há demonstração do risco iminente da manutenção dos bloqueios realizados nas vias de acesso, e rodovias estaduais, municipais, e estaduais, impedindo o livre acesso da comercialização de combustíveis à população em geral, causando, inclusive, problemas relativos a distribuição de itens essenciais, e prestação de serviços imprescindíveis à coletividade local".
Ele deferiu a liminar para "seja garantido o recebimento de combustíveis, desde as bases de distribuição, localizada no município de Paulínia, até os estabelecimentos dos representados pelo Sindicato".
O juiz expediu ofício ao Baep para garantir o cumprimento da liminar e ainda destacou que a corporação pode autuar os manifestantes que descumprirem a medida "com a possibilidade de apreensão dos veículos a eles pertencentes e a CNH (Carteira Nacional de Habilitação).
Foi estabelecida multa de R$ 10 mil, limitada a R$ 1 milhão para o caminhoneiro ou entidade de classe que descumprir a medida.