OK

Copyright TodoDia Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito do TodoDia Online.

Close

NAMORO OU AMIZADE?

Fogo Cruzado

02/05/2018-23:10:46 Atualizado em 02/05/2018-23:15:05

Ciro Gomes continua borboleteando aqui e ali ainda sem encontrar uma chapa que lhe caiba. Mas a tão falada alidança com o PT começa a ganhar apoiadores dentro do partido. O ex-governador Jaques Wagner admitiu neste feriado a possibilidade do PT compor com Ciro, como vice na chapa, na impossilidade da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Jogando a isca ainda mais longe, Wagner chegou a dizer que é favor também de buscar apoio do ex-ministro Joaquim Barbosa, aquele do mensalão, que pode ser candidato pelo PSB. Ao mesmo tempo, mantém na sua lista Manuela D'Ávila, do PCdoB. E explica que "o PT tem que buscar o diálogo com os partidos que sempre defenderam um Brasil democrático".
DANÇA DAS CADEIRAS
A pouco meses das eleições, governadores que pretendiam a reeleição sofrem uma debandada da base de apoio. No Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB) viu voarem da base seus aliados mais próximos, o PSDB, PSD, PRB e PDT, que entregaram seus cargos no governo e passaram para a oposição, o que refletiu na Assembleia Legislativa. Rollemberg busca recompor com partidos menores, o Rede, o PV e o próprio PDT. Robinson Faria (PSD), do Rio Grande do Norte, também viu os aliados do PT, PP e PCdoB deixarem o governo, enquatno seu vice, Fábio Dantas (PSB) anunciou chapa para disputar a eleição. O governador busca algum respiro no PSDB, cujo presidenciável Geraldo Alckmin jantou jutno com Faria na semana passada, em Brasília. Mas o PSDB local resiste a formar uma alinça no RN. Outra debandada aconteceu com Pedro Taques (PSDB), governador do Mato Rosso, que perdeu da base o DEM, PV, PP, PSD e PDT. Além de saírem da base do tucano, publicaram um manifesto explicando porque não vão apoiar Taques onde arrolam promessas não cumpridas e problemas na gestão financeira e na saúde. Estão na mesma pindaíba política os governadores do Rio Grande do Sul e Pernambuco. Jã em São Paulo, os tucanos estão lidando com o poder de Marcio França de barganhar politicamente, o que lhe garantiu a maioria na Assembleia Legislativa, em oposição a João Doria, com quem deve disputar o governo do Estado. É a dança das cadeiras e das alianças.
NOMORO OU AMIZADE? - 2
O ministro Gilberto Kassab defendeu que seu partido, o PSD, feche apoio a Geraldo Alckmin para a presidência, assunto que ainda não está resolvido no partido. O apoio, diz ele, não significa indicar o vice. Kassab diz que não se preocupa com o baixo desempenho nas pesquisas do tucano no próprio estado que governa há 14 anos. O PSD está em consulta nacional para decidir seus passos.
SEM MORAL
Baixa popularidade nas pesquisas de opinião faz a diferença e pode impactar na saúde emocional do político. Vide Temer, expulso dos escombros do prédio que desabou em São Paulo n o feriado.
CANCELADO
Além de levar a pior na rua, Temer vive um impasse no Congresso, onde partidos da oposição se retiraram das votações, complicando o andamento das pautas. Devido ao bloqueio político de seu governo, Temer decidiu cancelar viagem à Ásia e tratar da saúde de suas alianças.