OK

Copyright TodoDia Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito do TodoDia Online.

Close

Com usar o LinkedIn sem gafes

Opinião

Fernanda Andrade | Gerente de hunting - 12/04/2018-22:30:58 Atualizado em 12/04/2018-22:29:37

Como o LinkedIn é uma rede social com um propósito único e bem definido, além de não permitir uma postura informal, é desafiador lidar com ela. O LinkedIn surgiu com um único propósito: conectar profissionais. Essa rede social é focada no ambiente corporativo, por isso o profissional deve evitar, desde o início, qualquer tipo de menção à sua vida pessoal. É importante construir um perfil mais atrativo, aumentar a rede de contatos com base em escolhas assertivas, interativas e com impacto pretendido.
Cito aqui dez dicas do que os headhunters querem, ou não, ver no LinkedIn.
Conteúdo- é importante compartilhar conteúdo interessante, de sua própria autoria, porém busque publicar textos que realmente revelem seu conhecimento profissional. Se atenha à sua área de atuação de maneira a não cometer gafes. Outro aspecto do conteúdo é a coerência entre postagens. Falar "de tudo" é bom em rodas de amigos, mas no âmbito profissional, superficialidade em vários assuntos não é o ideal.
Português- pode parecer óbvio, mas erros de português, jargões, expressões idiomáticas são problemas recorrentes. Para transmitir confiança é bom ter o domínio da língua formal. Essa é uma plataforma de uso profissional, não há espaço para agir de forma descuidada e cometer erros básicos.
Informações cadastrais- mantenha todos os seus dados sempre atualizados, com e-mail e telefone pessoais. É comum encontrar dados de contato como telefone e e-mail corporativos que se usava em sua última atuação. Isso não é bom, pois ao sair da empresa você fica incomunicável. O perfil do LinkedIn deve ser uma cópia do seu currículo.
Experiência detalhada- procure sempre descrever as atividades e projetos que realizou nas empresas em que trabalhou. Mais importante que o tempo de trabalho são as conquistas que você realizou na organização, e que destacam sua expertise de mercado.
Contatos- não saia adicionando todo mundo só para ter uma vasta lista de pessoas ligadas a você. Essa não é uma rede de popularidade. É importante estar conectado a quem realmente se conhece ou compartilha interesses profissionais comuns.
Não atire para todos os lados - não se candidate a vagas que não são do seu perfil. Quando um headhunter procura um profissional, ele chega a receber 5 mil currículos para uma única posição, em média. Porém nem 10% deles corresponde às especificações da vaga. Procure ver se o perfil da vaga não te exclui com coisas simples como nível de inglês, região de moradia etc. Só se apresente como opção para aquilo que realmente está de acordo com quem você é.
LinkedIn não é Facebook- não use esse espaço para compartilhar e discutir assuntos como posições políticas, brigas por polarização, postagens religiosas, frases de efeito, postar fotos inadequadas, de animais, de "baladas", ou mesmo de família. Você deve se portar como se porta no ambiente corporativo.
Cuidado com o que fala- ser educado deveria ser praxe, mas nem sempre é. Não fale mal de ninguém, muito menos de entrevistadores, feedbacks recebidos etc. Isso pode fechar portas.
Verifique sua conta - não abandone seu LinkedIn. Entre ao menos uma vez por semana, interaja com grupos e produza algo relevante. Parabenize conquistas de amigos e faça o networking.
Perfis em outras línguas - Por último, se você domina outros idiomas, o LinkedIn permite criar perfis em outros idiomas para entrevistadores com vagas internacionais, ou que necessitam de domínio de outras línguas como fator chave. Além disso, ao menos em inglês é importante ter o currículo pronto, não por diferencial, mas por demanda mercadológica.