OK

Copyright TodoDia Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito do TodoDia Online.

Close

Após hiato, Cordel do Fogo Encantado retorna com álbum

Cultura e Entretenimento

AMANDA NOGUEIRAFOLHAPRESS | 10/04/2018-23:16:06 Atualizado em 12/04/2018-02:08:57

Após um hiato de oito anos, o Cordel do Fogo Encantado volta à ativa com "Viagem ao Coração do Sol", o quarto álbum de estúdio, lançado no último dia 6. O trabalho de retomada traz 13 faixas inspiradas pela literatura de cordel, seguindo uma narrativa ficcional e poética, característica do grupo pernambucano que surgiu de um espetáculo teatral.
Embalado com a forte percussão da banda, o enredo trata da busca por liberdade - personificada no single "Liberdade, a Filha do Vento".
"São personagens que caminham de dentro da terra em direção ao sol, trazendo a poesia do despertar, do raiar, do renascimento da luz, desse sentimento do nascer das coisas", diz o cantor e pandeirista José Paes de Lira, o Lirinha.
Para ele, o álbum, produzido por Fernando Catatau e lançado de forma independente, traz uma mensagem de força em um momento de dificuldade de entendimento dos acontecimentos.
Um dos desafios, diz Lirinha, foi dialogar com um mundo moldado pelo uso desenfreado da internet e uma comunicação coletiva, o que se mostrou bem diferente daquele vivido pela banda na época de sua despedida.
"Quando eu anunciei minha saída da banda, após o Carnaval de 2010, a internet estava começando a se solidificar na casa das pessoas, em Arcoverde [sua cidade natal, no interior de Pernambuco], por exemplo, era muito raro".
RETOMADA
A reaproximação dos cinco integrantes - Clayton Barros (violão e voz), Emerson Calado (percussão e voz), Nego Henrique (percussão e voz) e Rafael Almeida (percussão e voz), além de Lirinha - se deu com uma tentativa de resgate da obra do grupo.
O intuito era disponibilizar a discografia em plataformas de streaming musical. "A distância entre os integrantes fez com que ninguém se sentisse guardião desse material, os discos físicos esgotaram e começaram a virar artigo raro".
Na mesma época, o quinteto voltaria a se encontrar no velório de Naná Vasconcelos, percussionista pernambucano e espécie de padrinho da banda, morto em março de 2016. "Tivemos o desejo de fazer um show em homenagem a ele", lembra Lirinha.
"Nosso grande objetivo artístico sempre foi o encontro com o público, mas nós não queríamos voltar apenas com as musicas da nossa história, do nosso passado", conta Lirinha. "Decidimos que esse retorno aconteceria com um trabalho inédito".
Com a turnê de "Viagem ao Coração do Sol", a banda passará por pelo menos cinco cidades brasileiras - Salvador, Rio de Janeiro, Recife, Ribeirão Preto e Fortaleza. Novas datas devem ser anunciadas.