OK

Copyright TodoDia Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito do TodoDia Online.

Close

Cachaça produzida por americanense em Torrinha recebe

Clube Gourmet

Texto | Jucimara Lima Fotos | Divulgação | 27/04/2018-22:28:26 Atualizado em 27/04/2018-22:26:43

Que o Brasil é um excelente produtor de cachaça o mundo sabe e reconhece, agora você sabia que mesmo assim a produção nacional ainda encontra preconceito dentro do próprio país? E para promover o que é nacional, derrubando tabus internos e divulgando externamente os nossos destilados, inclusive como vitrine do setor para o mercado internacional de exportação, todo ano acontece o Concours Mondial de Bruxelas. A edição brasileira está em sua 16ª realização e esse ano aconteceu no Recife, entre os dias 03 e 05 de abril. O evento recebeu a inscrição de cerca de 300 rótulos de cachaça, entre elas a Cachaça Vecchio Albano, que é produzida pelo químico americanense Miguel Zoca. O alambique da bebida premiada, fica no Sítio Primavera no alto da serra de Torrinha.
Segundo a organização a avaliação feita por um corpo de jurados renomados internacionalmente é feita através de degustações às cegas e às portas fechadas. Em várias categorias, os vencedores receberam medalhas de prata, ouro e grande ouro (duplo ouro), caso da Cachaça Vecchio Albano Envelhecida Premium. Segundo Zoca, a bebida foi envelhecida um ano em barris de 200 litros de carvalho francês e americano, possuindo buquê frutado com notas de baunilha, castanhas e madeira, sabor intenso e boa estrutura.Especialista em Tecnologia da Cachaça, o americanense é formado sommelier e se inspirado no avô Pedro Zocca, o qual foi produtor de cachaça no início do século XX em Piracicaba, para começar a produzir cachaça. O pai,Albano Zocca Netto, seu grande incentivador, traz seu nome perpetuado nos rótulos da Cachaça Vecchio Albano. "Ter seu trabalho reconhecido é sempre muito bom, mas receber essa medalha de Grande Ouro em um concurso internacional, o mais importante do mundo para cachaça, me deixa muito feliz e extremamente motivado a continuar com a produção dessa bebida tipicamente brasileira. Sou um nacionalista nato, e poder elevar o nome de nosso Brasil mundo afora é muito gratificante."