OK
Close

Mulher tem 90% do corpo queimado depois de briga

Polícia

bargas filho sumaré | 13/03/2018-22:25:00 Atualizado em 13/03/2018-22:18:41

Adriana Alves da Silva, de 38 anos, sofreu queimaduras em todo o corpo e seu marido, João Batista Geraldo, de 43, ficou ferido na perna direita, também por queimadura, nesta segunda-feira, 12, num incêndio que destruiu o barraco onde os dois moram no Parque Progresso, região do Matão, em Sumaré. O incêndio teria sido provocado pela própria mulher depois de uma discussão entre o casal. Os dois foram internados no Hospital Estadual. Ela com ferimentos graves em 90% do corpo, conforme informou a polícia.
O fato ocorreu na Rua São Camilo, defronte a casa número 244. Os dois que trabalham com reciclagem são dependentes de álcool e drogas, conforme foi apurado pela Guarda Civil Municipal e pela Polícia Civil, com base nas declarações do próprio Geraldo.
A briga entre o casal começou, segundo Geraldo, quando a mulher chegou por volta das 20 horas com uma garrafa com etanol e disse que iria beber. Ele teria impedido. Os dois se desentenderam e houve luta corporal. A garrafa caiu e o combustível atingiu o corpo da mulher, um colchão, a perna de Geraldo e o chão.
FORA DE CONTROLE
Ainda conforme as declarações de Geraldo à polícia, a mulher estava "fora de controle". Ele alega que a chamou de louca. Adriana teria pegado um isqueiro e provocou uma chama no colchão. O fogo rapidamente se alastrou pelo barraco. Moradores vizinhos intervieram e retiraram o casal das chamas. Adriana foi levada para o hospital junto com o marido.
Uma equipe do Corpo de Bombeiros esteve no local, porém, o fogo havia destruído todo o barraco, pertences e roupas do casal. A Polícia Civil abriu inquérito para apurar as causas, porém, o primeiro registro da ocorrência é de "auto lesão", porque, prevaleceu a versão de Geraldo.