OK
Close

Jovem é morto após culto evangélico

Polícia

Douglas Corrêa Rio de Janeiro/Agência Brasil | 13/03/2018-22:23:35 Atualizado em 13/03/2018-22:18:39
upp | Agentes da Unidade que atuam na favela de Manguinhos

Um jovem foi morto a tiros quando voltava de um culto da igreja evangélica na favela de Manguinhos, zona norte do Rio. Matheus Melo de Castro tinha 23 anos e saía de moto da comunidade quando foi baleado. A família acusa policiais pela morte do rapaz, ocorrida no final da noite de segunda-feira,12.
A vítima trabalhava na Fundação Oswaldo Cruz, em Manguinhos. A família acusa a Polícia Militar de ter matado o trabalhador e atirado sem sequer pedir documentos ao rapaz.
A Polícia Militar informou, em nota, que na hora do crime não houve confronto entre criminosos e policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).
"Segundo o comando da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos, no final da noite desta segunda-feira, policiais foram informados que o jovem Matheus Melo de Castro, de 23 anos, teria sido baleado na Avenida Dom Helder Câmara e socorrido por moradores para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Manguinhos", diz o comunicado. Os agentes foram ao local e constataram que Matheus não resistiu aos ferimentos. O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios.
Pouco depois do ocorrido, um ônibus foi incendiado na Avenida dos Democráticos e a base da UPP foi atacada a tiros por criminosos. Houve confronto e, até o momento, não há informações sobre feridos neste incidente. O policiamento foi reforçado na comunidade.