OK
Close

Sob o olhar de Aguirre, SP vence o Red Bull Brasil

Esportes

folhapress são paulo | 11/03/2018-21:19:55 Atualizado em 11/03/2018-21:17:34
ACERTOU | Aguirre assinará contrato para dirigir o SP até dezembro

Sob o olhar do novo treinador, o uruguaio Diego Aguirre, 52, anunciado neste domingo, 11, o São Paulo venceu o Red Bull por 3 a 1, de virada, no Morumbi, pela última rodada da fase de classificação do Campeonato Paulista.
Com o resultado, a equipe tricolor assegurou a liderança do Grupo B, com 17 pontos -dois a mais do que o São Caetano, vice-líder. Assim, as duas equipes vão se enfrentar na próxima fase da competição. Como realizou melhor campanha, o time do Morumbi terá a vantagem de ser o mandante da partida de volta.
Na terça-feira, 13, a FPF (Federação Paulista de Futebol) define a data e os horários das partidas.
No duelo contra o São Caetano, o São Paulo foi dirigido interinamente por André Jardine, que agora fará parte da comissão técnica permanente. Ele substituiu Dorival Júnior, demitido na última sexta-feira.
Com o time tricolor já classificado, o interino escalou uma formação mista. Militão, Rodrigo Caio, Cueva e Brenner ficaram fora da partida assim como Jucilei, vetado pelo departamento médico. Já Marcos Guilherme e Valdivia iniciaram o jogo no banco de reservas e entraram na etapa complementar.
Com as mudanças, Jardine aproveitou para lançar alguns jovens, casos do volante Pedro Augusto e do atacante Caíque. Nenê e Diego Souza começaram como titulares.
O São Paulo, porém, saiu atrás do placar em uma falha do goleiro Jean, que errou na saída de bola. Edmilson recebeu passe na entrada da área e finalizou para o gol.
A equipe tricolor não se abateu e conseguiu o empate. Após uma jogada pela direita, Nininho tentou cortar e marcou contra.
No segundo tempo, Jardine promoveu a entrada do lateral esquerdo/volante Liziero, destaque da equipe sub-20 vice-campeã da Copa São Paulo de futebol júnior. A equipe mostrou mais dinamismo e conseguiu a virada.
Aos 22 minutos, Arboleda marcou o segundo após completar o cruzamento. Quatro minutos depois, Marcos Guilherme, que havia entrado no lugar de Trelléz, outro que começou jogando, finalizou cruzado para ampliar e definir o marcador.
PROTESTO
Antes do jogo contra o Red Bull, a torcida do São Paulo promoveu um extenso protesto nas imediações do estádio do Morumbi. Os alvos do ato foram a diretoria do clube e o atual elenco de jogadores.
Planejada pelas torcidas Independente e Dragões da Real, as mais famosas organizadas ligadas ao São Paulo, a "marcha fúnebre" foi iniciada duas horas antes do jogo. Cinco caixões, seis faixas e dezenas de cruzes trouxeram mensagens que contestam pontos importantes da administração do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco. Também a má sequência de resultados do time foi alvo da encenação, com objetos em alusão a "um time morto".
Ao som de uma marcha fúnebre e marcação de tambor, foram contestados o trabalho das categorias de base em Cotia e, segundo os torcedores, o uso do ídolo Rogério Ceni como "barganha política" na última temporada. Na caminhada, os torcedores exibiram faixas com mensagens como "São Paulo na UTI" e pediam a "libertação de Leco". Uma fumaça preta foi lançada para simbolizar o momento do clube.