OK
Close

Plano viário vai integrar Sumaré

Cidades

Elias Aredes sumaré | 12/02/2018-22:17:36 Atualizado em 12/02/2018-22:14:18
Arquivo | TODODIA Imagem
ESTRADA| Sumaré cresceu a longo do rodovia e algumas regiões ficaram isoladas das outras

A Prefeitura de Sumaré anunciou que vai iniciar, neste ano, um amplo cronograma de obras para integrar ruas e avenidas das principais regiões do município, como a Área Cura, Matão, Nova Veneza, Jardim Dall Horto e Jardim Maria Antonia. O objetivo é iniciar o processo de integração viária das diferentes regiões do município e acabar com a dependência da utilização da Rodovia Anhanguera para chegar a todas as regiões da cidade.
De acordo com o prefeito Luiz Dalben (PPS), o projeto é inspirado naquilo que já foi feito em Jaguariúna, onde foi construído um anel viário responsável por interligar as principais avenidas do município. O prefeito também admite a influência do projeto Rótula, implantado pelo prefeito Magalhães Teixeira (PSDB), na década de 1990 em Campinas, e que interliga em um único sentido as grandes avenidas Moraes Sales, Anchieta, Orozimbo Maia e Senador Saraiva. "É isso que desejamos para Sumaré. Se uma pessoa entrar na Avenida Emílio Bosco no Matão, eu quero que ela tenha chance de entrar na Américo Ribeiro dos Santos e dali vá para José Vedovatto e depois para Nova Veneza. Que ele possa utilizar a Avenida da Amizade como elo da cidade", explicou o prefeito. "Seria tudo interligado sem precisar utilizar uma rodovia com o tráfego pesado e até os riscos que oferece a Anhanguera".
PASSO INICIAL
Segundo Dalben, a função da atual administração é dar o passo inicial, já que uma obra de tal magnitude, na sua visão, não seria concluída em menos de 20 ou 30 anos. "O projeto já está pronto e começa a ser viabilizado no Plano de Mobilidade Urbana da cidade. Ou seja, os próximos prefeitos terão o projeto em mãos. É só dar continuidade", afirma.
Segundo o secretário municipal de Mobilidade Urbana e Rural, José Aparecido Ribeiro Marin, as verbas serão viabilizadas pelo cofre do município e do governo de Estado, pois em alguns casos serão necessárias alças de acesso nas rodovias para fazer as interligações. Também não está descartada a obtenção de recursos junto ao governo federal. O valor total da obra, segundo o secretário, ainda não está concluído. Também não há definição sobre qual o local para a etapa inicial da obra.
A urgência da obra é justificada pelos dados da frota em Sumaré. De acordo com o Observatório Nacional de Segurança Viária, para uma população estimada de 273.007 habitantes, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Sumaré conta atualmente com 152.557 veículos. O índice de motorização é de 566,03 a cada mil habitantes.