OK
Close

Flagrados em furto de piso, pai e filho revelam: foi para obra comunitária

Cidades

beto silva santa bárbara d'oeste | 13/01/2018-00:09:38 Atualizado em 13/01/2018-00:06:49
Arquivo| TODODIA Imagem
OK | Barreto: foi para o bem

Um homem e seu filho foram flagrados na noite de quarta-feira no momento em que descarregavam pisos furtados da obra do Corredor Metropolitano Biléo Soares, em Santa Bárbara d'Oeste. De acordo com os guardas civis que atenderam a ocorrência, após receberem denúncia de que dois homens estavam transportando material furtado do canteiro de obras da Avenida São Paulo, em um Gol preto, os patrulheiros iniciaram diligências no bairro Parque Zabani, onde encontraram a dupla descarregando o veículo na Rua Plácido Ribeiro Ferreira. O material furtado é avaliado em R$ 6 mil.
Ao serem abordados e questionados, os homens, cujos nomes não serão divulgados antes da conclusão do inquérito, admitiram que esta era a quarta remessa de material que eles haviam transportado das obras até a área pública. A dupla foi apresentada no Plantão Policial onde foi interrogada pelo delegado Gelson de Oliveira Barreto. No depoimento, pai e filho, respectivamente de 42 e 24 anos, contaram que decidiram usar os pisos de concretos em uma Área de Preservação Permanente (APP) mantidas por eles, próximo à casa onde moram, no Parque Zabani.
No local, pai e filho contaram que plantaram mudas de árvores, diversas plantas e limparam o entulho existente. Eles disseram ao policial que pretendiam construir um parque infantil para as crianças do bairro, que é carente de infraestrutura de lazer.
BENEFÍCIO PÚBLICO
Após ouvir os acusados, o delegado Gelson Barreto decidiu instaurar um inquérito policial para investigar o caso e liberou pai e filho. De acordo com o Boletim de Ocorrência, o material subtraído pelos acusados estava em via pública sem nenhum tipo de vigilância ou cuidados, ao alcance de todos. Barreto também destacou que a ação dos acusados não apresentava dolo, pois o material estava em outra área pública onde seria usado em benefício da coletividade. O delegado concluiu que não viu intenção de os acusados obterem lucro pessoal com o furto.
O caso, por si já interessante, ganhou contornos sobrenaturais na quinta-feira, quando a Empresa Municipal de Transportes Urbanos (EMTU) - responsável pelos serviços no trecho Nova Odessa-Americana do Corredor Metropolitano - informou, por meio da assessoria de imprensa, que tanto ela, como a construtora, desconhecem o furto citado. Em nota, a empresa informou que desde a retomada das obras no trecho, em maio de 2017, não houve registro de nenhuma ocorrência como a relatada. "Salientamos que as instalações e os materiais utilizados nos canteiros de obras estão sob vigilância 24 horas por dia", traz o trecho da nota, que contradiz as informações da Polícia Civil.
A EMTU finalizou a nota informando que as obras do trecho Nova Odessa - Americana prosseguem em ritmo normal e têm previsão de conclusão no segundo semestre de 2018.