OK
Close

Solidariedade garante a comida para as famílias

Cidades

CRISTIAN EDUARDO BARBOSA AMERICANA | 07/01/2018-00:54:01 Atualizado em 07/01/2018-00:51:31

Das famílias do acampamento Roseli Nunes, 179 estão cadastradas pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Elas estão na fila para receber a própria terra e são assistidas mensalmente com uma cesta básica. Os demais estão na dependência de doações. Uma parte daquilo com que se alimentam vem novamente dos vizinhos do Assentamento Milton Santos, que hoje já conseguem produzir em quantidade suficiente para ajudar.
SOLIDARIEDADE
Outra parte das doações vem de supermercados da cidade que cedem aos ocupantes da área frutas, legumes e verduras - contam os sem terra, mostrando os produtos à reportagem. São alimentos em bom estado para serem consumidos e que são devidamente preparados em uma cozinha que comporta alimentar 250 pessoas por vez. Há horários para isso. Assim se organiza a distribuição e se evita desperdícios. Nada pode se perder.
A cozinha é provisória. Vai ficar ali tempo suficiente para que todos possam se organizar e preparar a própria comida. Flávia do Nascimento de Lima é um exemplo de organização.
O barraco em que mora é grande o suficiente para abrigar duas famílias. Elas se dividem em quatro barracas de camping que estão protegidas sob uma lona maior.
Na área de uso comum, armários, um fogão e utensílios domésticos estão organizados em um dos cantos.Flávia já não utiliza mais a cozinha coletiva. É ela quem prepara as próprias refeições. Isso desonera a carga de quem tem que alimentar uma multidão de pessoas todos os dias.
Descontraída, Flávia é convidada a falar sobre sua experiência. Em meio a gargalhadas, diz que é tímida, mas fala com a segurança de quem sabe o que quer. "Falar que é fácil, não é. Mas aqui todo mundo se ajuda. Aos poucos vamos nos levantando. E aqui agora é a minha casa", afirma.
Ela admite que a incerteza pelo futuro preocupa, mas encerra a curta entrevista com esperança: "A gente dorme e acorda sem saber o que vai acontecer. Mas a gente está bem esperançoso de que a terra já é nossa".