OK
Close

Hortolândia é a mais vulnerável

Hortolândia, Monte Mor e Sumaré

JOÃO CONRADO KNEIPP HORTOLÂNDIA | 14/12/2017-21:34:30 Atualizado em 14/12/2017-21:31:25
Divulgação
HORTOLÂNDIA | Vulnerabilidade foi considerada "média-baixa" em estudo realizado pela Secretaria Nacional de Juventude com a Unesco

Hortolândia é a cidade mais vulnerável no que diz respeito à segurança de jovens entre 15 e 29 anos, considerando municípios com mais de 100 mil habitantes da RMC (Região Metropolitana de Campinas). A constatação foi feita por um estudo realizado pela Secretaria Nacional de Juventude da Presidência da República em parceria com a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) em 307 cidades do Brasil.
O IVJ 2017 (Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência), divulgado ontem e que tem por base dados de 2015, é um estudo que reúne indicadores relativos às situações consideradas chaves na determinação da vulnerabilidade dos jovens à violência, como taxa de frequência à escola, escolaridade, inserção no mercado de trabalho, taxa de mortalidade por homicídios e por acidentes de trânsito.
A partir desses cinco indicadores, cada município com mais de 100 mil moradores recebeu uma classificação de acordo com a vulnerabilidade dos jovens à violência, que variava entre "muito alta", "alta", "média", "média-baixa" e "baixa".
Na RMC, a pior classificada foi Hortolândia, ocupando a 185ª posição no ranking geral, com nota "média-baixa" (na lista, o primeiro município é o mais vulnerável, e assim por diante). Entre os municípios da RMC com perfil para enquadramento no estudo, ainda aparecem Sumaré (245° - vulnerabilidade "baixa"), Americana (287° - "baixa") e Santa Bárbara d'Oeste (289° - "baixa").
Já Valinhos (297°- "baixa"), Indaiatuba (302° - "baixa") e Itatiba (303° - "baixa") figuram no ranking das dez cidades com menores índices de vulnerabilidade dos jovens à violência no País.

Leia Mais