OK
Close

'É um momento histórico para todos nós'

Santa Bárbara d Oeste 199 anos

Texto | André Rossi Fotos | Claudeci Junio | TODODIA Imagem | 02/12/2017-17:09:46 Atualizado em 02/12/2017-17:30:04

Em seu segundo mandato como prefeito de Santa Bárbara d'Oeste, Denis Andia (PV) afirma que a cidade está pronta para ter "um futuro brilhante como ela merece". Em entrevista exclusiva ao TODODIA, o prefeito explicou como foi realizado o trabalho de reestruturação da cidade, os avanços na área da Saúde, e o que o planeja para Santa Bárbara a médio e longo prazo.
TODODIA - Neste primeiro ano do seu novo mandato, quais têm sido as prioridades do governo?
Denis Andia - Primeiramente, a prioridade continua sendo a mesma desde 2013: Saúde, Educação, Segurança e Geração de Empregos. Algumas dessas ações relacionadas a cada uma dessas áreas vão tomando dinâmicas diferentes e em muitos casos a gente vai somando, criando uma somatória de ações que se complementam. O que realizamos nesse ano de 2017, primeiro ano do segundo mandato, em muitas questões, principalmente da Saúde, são ações que dão continuidade e complementam um ciclo de transformações. Nós tivemos na Saúde, nos primeiros quatro anos, um amplo programa de reestruturação de boa parte da rede. Nesse tempo todo o que conseguimos foi reformar e ampliar muitas vezes 75% dos postos da cidade. Os outros 25% demos início em 2017. Também buscamos transformar a estrutura de transporte da área da Saúde. Trocamos toda a frota em 2015, o que hoje nos permite transportar mais pacientes, que passam a ter mais acesso a exames e procedimentos que são feitos tanto dentro quanto fora da cidade. Criamos um Centro de Especialidades substituindo o antigo, num lugar mais amplo e com maior estrutura. E fizemos importante intervenções no Hospital Santa Bárbara, que não é municipal, mas é um hospital que atende o SUS (Sistema Único de Saúde) e recebe hoje um aporte muito maior do que recebia há quatro, cinco anos atrás passado. Estou falando tudo isso porque, além dessa reestruturação física, nós implementamos a informatização do sistema de saúde, ampliação do número de médico, que foi de 98 no começo de 2013 para hoje com mais de 150 médicos na rede, e a introdução do programa da Saúde da Família, que Santa Bárbara não tinha. Criamos todo um contexto para que nós hoje, no ano de 2017, pudéssemos primeiro dar continuidade a reestruturação. Hoje estamos com uma obra importante de ampliação no Pronto-Socorro Edson Mano, criando ala de pediatria e gestantes dentro do sistema de urgência e emergência, e podendo ao mesmo tempo introduzir novidades em termos da operação daquilo que acontece dentro do serviço da Saúde.
Temos exemplos do que seriam essas novidades?
Dois exemplos importantes. O programa Zera Fila da Saúde. É um guarda-chuva de ações, que tem como carro chefe zerar os exames, aquelas filas históricas que vem de 15 anos atrás até agora. Dessas filas todas, já conseguimos desde o final de março reduzir 75%, e vamos chegar ao final do ano, mais tarde começo de 2018, e conseguir alcançar o propósito de ter apenas filas de rotina. Aquela fila que a pessoa vai na consulta, precisa de exame, aguarda alguns dias e já tem os seus exames. E uma outra coisa que é outra frente do mesmo programa é o Zera Fila Consulta. Todos os postos de Saúde do município começamos a introduzir passo a passo. São 14 postos de saúde e já introduzimos em três deles: São Fernando, Esmeralda e agora esse mês no Planalto do Sol II. É um novo modelo de atendimento, acolhimento dos postos de saúde. É algo que vai ao enfrentamento daquele que é um dos grandes problemas em toda cidade do Brasil: cidadão vai em busca de uma consulta e daí é agendada para dois, três meses depois. É por conta dessa rotina que o brasileiro se acostumou que os prontos-socorros acabam sempre cheios. Pessoa deixa de ter resolução no posto de saúde e porque muitas vezes não tem alternativa, ele busca o serviço de urgência e emergência, sendo que os casos às vezes não se encaixam nisso. Com o Zera Fila Consulta, nas três unidades já implementadas, estão funcionando num sistema aonde o cidadão chega e é atendido prontamente. Não tem agendamento pra meses depois. Chega e é atendido. Para conseguirmos esse resultado, nós reestruturamos fisicamente as unidades, as equipes e formatamos um modelo diferenciado de acolhimento, que tem um respaldo muito grande no atendimento territorial. As equipes que trabalham fora, buscando o atendimento, a integração com a comunidade ao redor do posto. É uma experiência inovadora, diria até em parâmetros nacionais porque não é a realidade do Brasil, e tem dado certo. Estou dizendo isso em 2017 porque tem uma respaldo no que fizemos nos primeiros quatro anos. Não teríamos como fazer isso agora se não tivéssemos trabalhado ponto a ponto lá atrás. Evidente que com isso não estou dizendo que tudo é perfeito. Mas sem dúvida hoje temos um sistema que funciona cada vez melhor, com estruturas novas e serviços novos prestados para a população.
Há a perspectiva de ampliar a abrangência do Zera Fila Consulta para os outros 11 postos de saúde da cidade?
Sim. O nosso planejamento é que até o final de 2018 a gente consiga introduzir esse modelo em todas as unidades. Ele requer um certo tempo porque antes de funcionar o modelo nós precisamos de aproximadamente um mês para fazer o reconhecimento territorial, fazer o cadastramento de residência por residência, fazer com base nisso as adequações estruturais e de equipe para formatar o sistema que funcione para aquela região. Um posto de saúde atende muitas vezes quatro ou cinco bairros. É um trabalho que requer muito trabalho e preparação antes. Fizemos a primeira em abril. Em sete meses introduzimos três (postos). A primeira que é sempre mais difícil, a segunda que foi na mais populosa, que é no Jardim Esmeralda, mais complexa, e agora todas que vem pela frente deve acontecer de uma forma mais rápida. Agora virão mais duas, a do Mollon e do 31 de Março, e daí por diante são estruturas que estão mais aptas. Funcionando em todos os postos até o final de 2018 nos trará uma realidade extremamente interessante e nos abrindo possibilidades que não tínhamos ate então. A medida que esse modelo vai avançando, os prontos-socorros vão se desafogando gradativamente. Hoje nós temos uma percepção muito clara que os moradores no entorno da unidade do São Fernando procuram muito mais o posto de saúde do que o pronto-socorro. Em paralelo, como mencionei, a ação é junto aos prontos-socorros.
Como serão as reestruturações dos dois prontos-socorros: Edison Mano e Afonso Ramos?
A reestruturação do Edison Mano já teve início e a do Afonso Ramos terá início no primeiro semestre de 2018. São reestruturação físicas e funcionais. O Afonso Ramos deverá ser gerido por uma OS (Organização Social). Ainda vamos publicar o chamamento para isso. Os projetos de lei já foram aprovados. Depois nós prefeitura submetemos ao Ministério Público e tivemos essa semana resposta de que está tudo em ordem e que eles concordam plenamente com o processo. Tudo com muita calma, ponderação e transparência para que agora nós publiquemos e possamos fazer o chamamento e escolher uma OS que funcione bem e tenha know how de bom funcionamento. Com isso, o Afonso Ramos vai passar a ser gerido por essa OS e os funcionários municipais concursados que hoje trabalham lá vão ser realocados e complementar o quadro do pronto-socorro Edson Mano. Hoje nós temos duas estruturas que funcionam no seu limite basilar, vão passar a ter duas estruturas melhor equipadas em ermo de profissionais, mais completas.
O Pronto-socorro Edson Mano vai continuar com gerência municipal?
Sim. A gente fez uma lei muito específica. Não é nosso interesse implantar OS no sistema da Saúde inteiro, pelo contrário, só pontualmente. Porque é uma questão que, dentro do nosso estudo, planejamento, resolve e melhora muito o atendimento de urgência e emergência.
Os investimentos deste ano foram bem focados na Saúde. Existem outras áreas onde também houve avanço similar?
Nos pilares que são os principais, na área da Educação nós continuamos nosso programa de ampliação de vagas em creche. Esse ano foi decisivo porque concluímos duas novas creches e avançamos muito na construção de outras duas. Bom, duas delas já começaram a funcionar, ou seja, é um processo que continua, perdurou. Lembrando que nos primeiros quatro anos fizemos um programa que permitiu duplicar o número de vagas em creche em Santa Bárbara. Seguimos na mesma escala na qualificação do ensino, que alcançou os melhores índices do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) nas últimas avaliações. Já na área de Segurança, aumentamos e renovamos 40% da frota, compramos equipamentos, tivemos treinamentos. E implantamos um sistema inovador, a primeira cidade brasileira a implantar o patrulhamento aéreo por drones. É um sistema que tem dado excelentes resultados na busca e apreensão de drogas, no monitoramento e patrulhamento ambiental, no trânsito do município, nos eventos de grande porte e é um sistema que nos permite fazer monitoramento aéreo e otimizar as ações em terra.
Qual o cronograma do senhor a médio e a longo prazo para a cidade?
É um momento histórico para todos nós. Estamos nos aproximando agora do aniversário de 199 anos da cidade, que vai dar início a celebrações dos 200 anos, que acontecerá em 2018. Ao longo desses 365 dias nós temos um cronograma que vão desde os aspectos de celebração, da tradição, da história e da cultura, nós temos um pacote de obras, inclusive com características e perfil de resgate da história do município, e criamos calendário para implementação. A partir desse 4 de dezembro começamos a contar os 365 dias dos 200 anos, e tem muita coisa pela frente. (...) Mesmo nessa época de crise nos últimos três anos, Santa Bárbara conseguiu se consolidar na liderança da geração de empregos pelos números oficiais do próprio Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Tem conseguido trazer investimentos e anunciar investimentos grandes. Temos um centro de desenvolvimento do Pague Menos, por exemplo, que vai gerar mil empregos diretos para o município, em um investimento de R$ 75 milhões. Tivemos a Caterpillar adquirindo uma área importante para instalações futuras dos seus negócios aqui na cidade. Tivemos ampliação de empresas e de novas vindo para a cidade, isso tudo em um momento de crise. Agora que flertamos com uma normalização da economia no País inteiro e na nossa região, o resultado do que temos aí é uma cidade extremamente bem equilibrada, equacionada, apta e com visibilidade para trazer os mais diversos investimentos. Tenho certeza absoluta que esse futuro de curto prazo e de longo prazo guarda muita transformação e coisas boas e novas para o município. No aspecto de Saneamento Básico, Santa Bárbara deverá chegar até 2019 aos 100% de esgoto tratado, uma das pouquíssimas cidades de médio porte a atingir uma marca como essa. Isso incrementa ainda mais o interesse de investidores. Enfim, temos cumprido a risca nossa determinação e nossa vontade de deixar a cidade preparada para um futuro brilhante como ela merece.