OK
Close

Marketing e psicologia para vender

Imóveis

ANDRÉ ROSSI REGIÃO | 25/11/2017-00:41:44 Atualizado em 25/11/2017-18:15:39
Divulgação
SUSANA | É preciso divulgar

Aplicar técnicas de home staging pode acelerar a venda do imóvel, tanto um novo quanto usado. O conceito busca alinhar marketing, psicologia e decoração para deixar o imóvel mais atraente para os possíveis compradores.
Porém, existem diferenças na hora de preparar uma propriedade ocupada (em que o vendedor ainda mora no local) e uma vaga. É o que explica a arquiteta, design de interiores e especialista em home staging Susana Damy. "São processos bem diferentes. O imóvel que está ocupado já usa as coisas que a pessoa possui (no home staging). É preciso retirar na maioria das vezes o excesso de informação que um imóvel vai adquirindo com o passar do tempo e trabalhar em volta do que o proprietário possui. (...) Já no caso do desocupado, é feito mais um merchandising do imóvel. Destacamos os principais pontos do imóvel que às vezes passam despercebidos, como o tamanho", comentou Susana.
No caso do imóvel ocupado, o primeiro passo é "despersonalizar" o ambiente, retirando excesso de objetos, como fotos pessoais, e manter o espaço limpo. "A pessoa tem que conseguir se enxergar no imóvel. Quando você vai viajar já se imagina no hotel, né? Quando está vendendo tem que usar esse mesmo mecanismo, tornar possível que a pessoa se imagine morando ali, usando o quarto, a cozinha, os banheiros. (...) Iluminação é muito importante. Quando receber o comprador, mantenha as janelas abertas", orientou a especialista.
Uma das dicas do home stanging é deixar um cheiro agradável na casa, com velas ou incensos. Até mesmo o cheiro de um bolo saindo do forno pode ajudar no processo, utilizando do conceito psicológico da técnica.
"Qualquer cheiro bom é bem vindo. Isso funciona porque quando a pessoa sai dali ela vai ter essa lembrança. Do bolo saindo do forno ou do aroma saindo da vela. É como as lojas usam muito hoje em dia. Você entra na loja e tem aquele cheiro especifico que fica na lembrança", explicou Susana.
No caso dos imóveis vagos, existem prós e contras. A vantagem é que, por ninguém morar no local, a "despersonalização" é automática. No entanto, caso o proprietário já tenha retirado seus móveis do local, será necessário um investimento para montar a decoração do espaço.
"No home staging o comprador se encanta, vê as possibilidade do imóvel. É diferente do decorado, por exemplo, que deslumbra, mas a pessoa fica tão hipnotizada que quando chega (para morar no imóvel) vê que não cabe as coisas dela. (...) A pessoa vai ter que investir nos móveis, que pode usar na nova casa depois, ou locá-los. Hoje ainda não existe no Brasil, mas em outros países existem empresas que têm o próprio estoque de móveis para aluguel. É um investimento que vai ser necessário", afirmou Suzana.
Independentemente do tipo de imóvel, não basta apenas fazer o home staging. É preciso divulgá-lo.
"Quanto mais divulgar, maior será a chance de vender. Fiz outro dia um 'open house', chamei corretores para conhecer os imóveis porque são eles que vão trazer pessoas interessadas. É muito importante a divulgação. Não adianta deixar impecável e só uma pessoa por mês visitar", disse a especialista.