OK
Close

Telefonema de comparsa entrega dupla, que é presa

Polícia

PEDRO HEIDERICH SUMARÉ | 11/10/2017-23:07:09 Atualizado em 11/10/2017-23:04:07
Divulgação
carga | Mercadoria roubada foi recuperada pela polícia

Uma dupla foi presa por roubo de carga ontem em Sumaré após ser "entregue" por uma ligação. Um comparsa ligou para o celular de um dos suspeitos quando eram abordados pela PM (Polícia Militar) para avisar que a PM estava procurando por eles. Os homens foram reconhecidos pelas vítimas e presos. A mercadoria foi recuperada.
Três motoristas estavam em duas Fiorinos carregadas com cargas de produtos diversos (eletrodomésticos, roupas e tênis) para venda pela Internet quando pararam em posto de gasolina no Jardim Eulina, em Campinas, na Rodovia Anhanguera (SP-330). Eles foram rendidos por um trio armado no local, por volta da 1h. Os bandidos fugiram com as duas Fiorinos.
As vítimas acionaram a empresa e rastrearam os veículos. A PM (Polícia Militar) foi até o local indicado, na Rua Cinco, no Jardim Dulce, no Nova Veneza, em Sumaré, e encontrou as duas Fiorinos estacionadas abandonadas sem as cargas. Em patrulhamento nas imediações, os militares abordaram um Palio na Rua Anísio Passoni, no Parque Santo Antônio.
De acordo com o boletim de ocorrência, os dois ocupantes do carro estavam em atitudes suspeitas, "agitados e suados", o que motivou a abordagem. O veículo era conduzido pelo padeiro Marcos Ferreira Garcia, 47, com o pintor Diego Gomes de Oliveira, 27, no banco do passageiro. Com a dupla não foi encontrado nada de ilícito, e nem dentro do carro.
A dupla entrou em contradição ao tentar se explicar, quando tocou o celular de Oliveira, aponta a polícia. Era um possível comparsa da dupla que ligou para avisá-los que havia diversas viaturas da PM na região.
Desconfiados, os militares enviaram fotos dos suspeitos para as vítimas, que reconheceram o padeiro e o pintor como autores do assalto.
Os dois ficaram agressivos após descobrirem que seriam presos e foi necessário o uso de força moderada para deter a dupla, diz a polícia. Oliveira informou a localização da carga em casa na Rua Joaquim José da Silva, ainda no bairro. Não havia ninguém no local, apenas a carga e documentos de um homem e uma mulher. As vítimas não os reconheceram como autores. A polícia não conseguiu localizar o comparsa autor da ligação e nem os donos dos documentos.
A carga, que não teve o valor avaliado divulgado, foi recuperada.