OK
Close

Tite e a sina do 'grupo fechado'

Esportes

FOLHAPRESS SÃO PAULO | 09/10/2017-23:21:22 Atualizado em 09/10/2017-23:18:28
Lucas Figueiredo | CBF
TITE | Fala em oportunidades

Se a história se repetir como ocorre desde 2002, quando as eliminatórias passaram a ser disputadas no atual formato, ao menos 70% dos jogadores que estarão hoje, no Allianz Parque, na última partida das eliminatórias contra o Chile, às 20h30, vão embarcar para a Rússia em junho de 2018.
Essa é a média de jogadores que se mantiveram na equipe desde a partida que garantiu a classificação até a lista final para o Mundial, divulgada em maio.
Com campanha recordista das eliminatórias, a melhor do país, Tite elogia seu time, mas descarta decretar que seu grupo de convocados está definido.
"Não posso fechar a porta, principalmente para a garotada que está jogando em alto nível. Todos estão sendo avaliados, acompanhados e podem ter uma oportunidade", afirmou o técnico, que diz não testar mais jogadores. "Não se testa jogador de alto nível. A questão é dar oportunidade", completa.
A convocação do volante Arthur, 21, do Grêmio, para os jogos de agora contra Bolívia e Chile, está na cota de jovens que estão se destacando.
Com uma campanha de 87% de aproveitamento nas eliminatórias, Tite encontrou um time ideal. Difícil imaginar, então grandes alterações na equipe titular para a Copa.
PERMANÊNCIA
Pela primeira vez desde que assumiu o comando da seleção brasileira há quase 16 meses, o técnico Tite afirmou que já pensou em continuar no cargo após a Copa.
"Pensar eu pensei [seguir após Mundial], mas ainda é utopia, temos que crescer muito a mentalidade para esse tipo de coisa acontecer. Temos que evoluir como técnicos, como dirigentes e como formadores de opinião. Eu cobiço o que a Alemanha tem, que consegue deixar tanto tempo um treinador para trabalhar", afirmou Tite.
NOVO CAPITÃO
O zagueiro Marquinhos, 23, será o capitão da Seleção no duelo contra o Chile. É a primeira vez que o jogador do Paris Saint-Germain usará a braçadeira equipe principal, que será usada por um capitão diferente pela 13ª vez.
O jogador, inclusive, voltará a ser titular do time de Tite, novamente fazendo dupla com Miranda. No empate com a Bolívia por 0 a 0, na quinta passada, o zagueiro começou no banco de reservas, mas entrou durante a etapa inicial no lugar de Thiago Silva, que sofreu uma lesão muscular.