OK
Close

Esporte une gerações e famílias

TodaGente

Texto | Claudete Campos Fotos | Divulgação | 04/11/2017-20:07:46 Atualizado em 04/11/2017-20:06:03

A raquetinha é um esporte que une várias gerações. Pode ser praticada por crianças, adultos e idosos. É bem democrático. Um dos diferenciais deste esporte que atrai novos praticantes é que pode reunir toda uma família em torno da mesma paixão.
"Este é um esporte que qualquer pessoa, de qualquer idade, pode praticar, embora o que determina a categoria e o nível que o jogador se encontra depende do seu conhecimento dos fundamentos e do treinamento. É um esporte que permite que vários praticantes de diferentes níveis consigam se divertir juntos", contou a empresária Cristina Pisoni.
"Na minha casa, como todos praticaram tênis, é possível que todos joguem juntos. De tantos que somos, dá até pra fazer nosso próprio torneio. Irmãos, sobrinhos, agregados, todo mundo joga junto. Não dá para descrever a sensação tão gostosa de você dividir a quadra com seu próprio filho. No meu caso, joguei com minha filha este ano e rendeu até pódio", contou a empresária.
Neste ano, o tenista mais novo que estará competindo no Cemara Open de Raquetinha, semana que vem, será o estudante Lucca Giongo Rigue, 12.
Franci Campana, 76, é a jogadora mais velha e prova que se trata de um esporte para todas as gerações. "Faz somente 11 meses que pratico raquetinha. A minha escola vem do tênis, que jogo desde os 45 anos. Com a minha idade, eu sigo três itens indispensáveis para mim. Um: estar de bem comigo mesma. Dois: Nunca se isolar, praticar sempre alguma atividade. Três: O corpo é uma máquina, não pode parar. Praticar exercício físico e mental", contou Franci.
Franci aceitou o desafio de jogar raquetinha. "Comecei e adorei. Também me completa nos três itens que mencionei acima. Não sinto dificuldade alguma. As pessoas precisam acreditar mais em seu potencial. Com 76 anos, vou disputar o meu primeiro torneio. Não tenho pretensão nenhuma, apenas quero jogar descontraída, me divertir e vencer mais este desafio", ressaltou Franci.