OK
Close

Moro pede recibos originais a Lula

Brasil e Mundo

FOLHAPRESS SÃO BERNARDO DO CAMPO | 09/10/2017-23:42:14 Atualizado em 09/10/2017-23:38:23
Arquivo | TODODIA Imagem
moro | Ele pediu que defesa diga se tem provas a requerer

O juiz Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato, quer que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva esclareça "expressamente" se dispõe dos recibos de aluguel originais do apartamento vizinho ao que mora em São Bernardo do Campo (SP) e os entregue, em caso afirmativo.
Na semana passada, o Ministério Público Federal questionou a veracidade de 26 recibos apresentados pela defesa do ex-presidente. O órgão pediu perícia dos documentos.
No despacho, Moro também pediu que a defesa de Lula esclareça se tem provas a requerer quanto ao caso.
Na denúncia, o Ministério Público Federal diz que Lula não pagou pela locação do imóvel, comprado pelo empresário Glaucos da Costamarques em 2010.
Segundo a acusação, Costamarques atuou como laranja na aquisição, que teria sido realizada com propina da Odebrecht, obtida por meio de contratos com a Petrobras.
A defesa do empresário apresentou petição afirmando que todos os recibos foram assinados no mesmo dia, em dezembro de 2015, quando estava internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.
Após visita de Roberto Teixeira, advogado e amigo do ex-presidente, o contador João Leite teria ido ao hospital recolher as assinaturas de Costamarques.
Moro pediu que o hospital informe o registro de visitantes do empresário no período, com ênfase em Teixeira e Leite.
CONTRARIEDADE
Costamarques também já afirmou a Moro que só passou a receber os aluguéis do apartamento ao final de 2015.
Em audiência no dia 13 de setembro, o juiz havia demonstrado contrariedade com o fato de o petista não ter apresentado os recibos de aluguel desde a apresentação da denúncia, em dezembro de 2016. No mesmo processo, Lula é acusado de aceitar como propina da Odebrecht um terreno na zona sul de São Paulo para o Instituto Lula. A defesa afirma que o imóvel nunca foi de propriedade do ex-presidente.
OUTRO LADO
Em nota, o advogado Cristiano Zanin Martins, que defende Lula, afirma que a perícia "irá confirmar inequivocamente" que os recibos são "idôneos" e que foram "emitidos regularmente pelo proprietário do imóvel".
"Temos segurança de que (...) são íntegros", diz o texto do advogado.
A defesa lembra, ainda, que pediu investigação de documentos apresentados pela força-tarefa da Lava Jato.
"Para observar a igualdade, esperamos que o juiz Sergio Moro autorize a realização de perícia também nos documentos que o Ministério Público Federal apresentou e que tiveram a idoneidade questionada pela defesa do ex-presidente Lula."
Segundo a Folha de S.Paulo, aliados de Lula afirmam que, antes de entregar a Moro os recibos de pagamentos de aluguel do apartamento, os advogados do ex-presidente submeteram os papéis a perícia particular.
Teriam acionado ainda dois especialistas -um do Brasil e outro do exterior- e só juntaram os documentos ao processo após receberem um sinal verde de que não havia nenhum problema.