OK
Close

Caixa reduz o teto para 50%

Imóveis

CLAUDETE CAMPOS REGIÃO | 30/09/2017-15:54:23 Atualizado em 30/09/2017-15:50:23
Divulgação
Barbosa | Expectativa do setor é que a mudança seja temporária

Os interessados em financiar imóveis usados pela Caixa Econômica Federal terão de desembolsar mais dinheiro. E terão mais dificuldades em obter esse tipo de crédito habitacional. É que o banco estatal anunciou nesta semana a redução do teto para financiamento de 70% para 50%. Esse medida deve reduzir o ritmo da assinatura dos contratos. Atualmente, a Caixa responde por 70% do crédito imobiliário do País.
O novo limite vigorará para as futuras operações de crédito. As propostas em análise entregues até a semana passada operarão de acordo com os limites antigos, caso o empréstimo seja liberado. Até então, os clientes podiam financiar até 60% ou 70% do montante, de acordo com a linha de crédito contratada.
O diretor adjunto da Regional do SindusCon-SP (Sindicato da Construção Civil) em Campinas, Tulio Barbosa, informou que o banco está fazendo um movimento no sentido da segurança.
Essa restrição não atinge as incorporadas e as construtoras, que trabalham mais com imóveis novos. "Atinge mais o mercado secundário, pessoa que tem imóvel, que quer revender para o terceiro, aí vai ter restrição do crédito", explicou o dirigente. A consequência é que serão firmados menos contratos, disse.
A expectativa do setor é que a medida seja temporária. "A gente espera que essa regra dure pouco tempo e vá normalizar no menor tempo possível, provavelmente para o ano que vem", explicou Barbosa. Ele ressaltou que a construção civil é um setor importante para a geração de empregos.
Segundo a Agência Brasil, essa redução é aplicada a todas as modalidades, como Minha Casa Minha Vida, empréstimos com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo, que usa recursos da poupança.
A justificativa dada pelo banco é que a redução dos limites de financiamento ajusta o capital disponível da instituição financeira às condições do setor, uma vez que o volume de crédito cresceu neste ano. De maio a julho deste ano, as concessões de financiamentos com juros regulados totalizaram R$ 2,4 bilhões no país, alta de 24% em relação ao trimestre anterior de fevereiro a abril. A regional da Caixa em Campinas não dispõe de dados regionais sobre a concessão de crédito.
NOVOS
Em agosto, a Caixa já havia reduzido de 90% para 80% o teto para compra de imóveis novos e de 90% para 60% ou 70% o limite para compra de usados. Em maio, a Caixa tinha suspendido para o restante do ano a linha pró-cotista FGTS, que usa recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço para o financiamento de unidades de até R$ 950 mil e cobra juros de até 8,66% ao ano de trabalhadores com carteira assinada. O banco alegou falta de recursos e informou que a linha só será retomada em 2018.