OK
Close

De olho em Tóquio, sob os olhares de Athos Pisoni

Esportes

DA REDAÇÃO AMERICANA | 12/08/2017-15:54:57 Atualizado em 12/08/2017-19:10:45
Divulgação
DANTE | Treinos quatro vezes por semana em Americana

O professor Dante Pazzanese Lanna, 52, morador de Piracicaba, vem treinando no CAT (Clube Americanense de Tiro) com foco numa possível participação nos Jogos Pan-Americanos de 2019 e nas Olimpíadas de 2020, em Tóquio. Para aprimorar suas habilidades na modalidade de fossa olímpica, Dante recebe orientações de Athos Pisoni, maior vencedor da história do tiro esportivo no Brasil.
São quatro dias de treinamentos por semana, duas horas por jornada e cerca de 100 tiros nos pratos disparados. "Há oito anos vim ao clube de tiro de Americana para regularizar armamento de um familiar. Na segunda vez que estive aqui já fiz teste numa das pedanas. A partir daí, com incentivo de frequentadores do CAT, só aumentei a prática e meu foco, hoje, realmente, é representar o Brasil em grandes competições internacionais", explica Dante.
Engenheiro agrônomo, o mestre dos alunos da Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz) se prepara agora para duas competições até setembro, o Campeonato Brasileiro em Belo Horizonte e o Grand Prix Sul-Americano no Rio de Janeiro. Também este ano, Dante disputa o Campeonato das Américas.
"No ano passado tive bons resultados e fiquei entre os três melhores da fossa olímpica no País. O foco e a concentração que o Athos Pisoni me incute só têm me ajudado na evolução técnica", explica Dante, que antes do tiro esportivo competiu em arco e flecha, handebol, futebol e squash.
Dono de uma fratura vertebral, ele também ingressou no tiro para evitar esportes de contato físico. "Mas engana-se quem pensa que o tiro não exige condicionamento físico. Junto com a concentração e a técnica, o corpo precisa estar preparadíssimo", atesta.
Sobre a estrutura do CAT, de Americana, Dante faz elogios, mas acredita que faltam mais competições sediadas nas pedanas localizadas na Avenida Olímpica Lionello Ravera. Cita outros clubes de tiro que estão em estágio avançado no Brasil, como os de Caxias do Sul, Curitiba e Alphaville. "Vamos treinando firmemente aqui, com as orientações preciosas do Athos Pisoni, participando de bons campeonatos. Ano que vem é época de cotas olímpicas e estar bem no ranking será fundamental", comentou.