OK
Close

Magal celebra 50 anos de carreira

Cultura e Entretenimento

folhapress são paulo | 08/08/2017-22:42:20 Atualizado em 08/08/2017-22:39:06
Arquivo | TODODIA Imagem
MAGAL | Italianos não conseguiam falar sobrenome real: Magalhães

São 50 anos de latinidade no palco. É o que o cantor Sidney Magal celebra neste ano. O homem que deu voz a clássicos como "Sandra Rosa Madalena" chega a cinco décadas de estrada musical. E na ativa. Ele fará um show, no dia 17, com convidados especiais e, em outubro, lança biografia em que fará revelações inéditas.
Assim Magal comemora uma carreira que começou quando ainda era criança. "Fui muito influenciado por minha mãe, Sônia, que cantava na Rádio Nacional. Quando ela se casou, meu pai não a deixou seguir como cantora. Mas deu tempo de ela transmitir esse gosto para mim", recorda.
Aos 14 anos, Magal iniciou aulas de canto. Em seguida, começou a se apresentar em bares e boates do Rio de Janeiro. Após alguns anos, o então Sidney Magalhães se mudou para a Itália, onde cantou desde canções locais até rock and roll. Naquele país, aconteceu a mudança que iria acompanhá-lo pelo resto da vida. "Os italianos não conseguiam pronunciar o Magalhães direito e um produtor resolveu cortar o meu sobrenome. Foi aí que nasceu o Sidney Magal."
O cantor voltou ao Brasil no começo dos anos 1970, retornando aos shows noturnos. Em 1976, sua carreira teve uma virada. "A gravadora Polidor precisava de um cantor jovem, e um amigo que também cantava em boates me indicou. Fiz um teste e deu tão certo que essa canção virou o meu primeiro compacto", lembra-se Magal. A música em questão, "Se te Agarro com Outro te Mato", tornou-se uma das mais conhecidas de sua carreira.
Daí para a frente, Magal ofereceu aos fãs "Sandra Rosa Madalena", "Tenho", "O Meu Sangue Ferve por Você" e "Me Chama que Eu Vou", músicas que não saem das festas e dos caraoquês. "É uma quantidade pequena de canções de destaque para 50 anos de carreira, mas todas elas são lembradas com carinho, assim como eu sou lembrado com consideração também", ressalta Magal.
Ele diz que essa atenção tem a ver com o seu modo de ser. "Falo sobre tudo com bom humor. O público elogia mais o meu jeito do que as minhas músicas."