OK
Close

'CHAMADA' 1

Fogo Cruzado

10/08/2017-23:43:20 Atualizado em 10/08/2017-23:40:33

Em tom de denúncia, o vereador Paulo Eduardo Dias Junior, o Juninho Dias (PMDB), deu uma "chamada" em uma servidora comissionada da Secretaria de Ação Social durante o tempo da Palavra Livre, na sessão da Câmara de Americana de ontem. "Não sei o que essa pessoa pensa. Se ela acha que usando os outros de 'escada', vai chegar em algum lugar. Ela tem que conseguir as coisas dela através do seu sucesso, seu trabalho", começou falando Juninho. Segundo ele, a servidora tem afirmado para moradores da região do bairro Antonio Zanaga - área de atuação do parlamentar - que ela é autora de indicações de serviço que já estão certas para que o Executivo faça.
'CHAMADA' 2
"Ela diz que foi indicação dela as coisas que a prefeitura já vai fazer. Não sei se ela está lá no cargo para fazer campanha para alguém, mas ela fique sabendo que vou ficar de olho. Ver se ela está trabalhando mesmo", finalizou Juninho. Nos bastidores, a informação é de que a servidora comissionada foi indicada pelo PV para a pasta. Após a fala, o vereador Thiago Martins (PV) foi conversar com ele.
PAUSA E BRONCA
Um requerimento do vereador Sérgio Fioravante Alvarez, o Professor Padre Sérgio (PT), exigiu uma força-tarefa da Câmara na sessão de ontem. O documento pedia a criação de quatro Comissões de Estudos e Acompanhamento para fiscalização dos repasses e aplicações dos valores e o desenvolvimento das obras no município, e citava os números tanto das leis já aprovadas como a dos projetos ligados a essas operações. A "numeralha" era tanta que confundiu a cabeça dos vereadores, sendo necessária a impressão dos projetos de lei elencados no requerimento. A sessão precisou ser parada para que os parlamentares recebessem as cópias e as analisassem. Após a pausa, o presidente Alfredo Ondas (PMDB) deu uma bronca nos vereadores para que fiquem cientes das propostas durante a semana e não no dia da sessão. O requerimento foi aprovado e na próxima sessão serão formadas as comissões.
ADIADO DE NOVO
Assim como na semana passada, a discussão do projeto que visa alterar a forma de votação dos regimes de urgência dos projetos enviados para a Câmara de Americana foi adiada. E, novamente, o autor do pedido de vistas foi o vereador Luiz Carlos Cezaretto, o Luiz da Rodaben (PP). O projeto, de autoria dos vereadores Maria Giovana (PCdoB) e Thiago Brochi (PSDB), prevê mudança no Regimento Interno da Casa, que permitira que os pedidos de urgência na tramitação dos projetos fossem apreciados separadamente. Ou seja, os vereadores poderão votar separadamente quais projetos podem tramitar com prioridade e quais não. Hoje, a votação é feita em bloco, fazendo com que o voto favorável ou contrário valha para todos as solicitações. Após a votação do regime de urgência, vota-se o mérito. Se na semana passada a alegação de Rodaben era a dificuldade dos vereadores em entender o projeto, o motivo para o novo adiamento dado na sessão de ontem foi a não compreensão de uma emenda, apresentada por Ondas. Ela mantém a votação do regime de urgência ou não em separado, mas acrescenta que o mérito dos projetos que entrarem em urgência deverão ser apreciados na sessão seguinte ou em uma sessão extraordinária.