OK
Close

Bloody Mary para os pais

Clube Gourmet

Texto | Claudete Campos Foto | Divulgação | 11/08/2017-20:39:27 Atualizado em 11/08/2017-21:21:35

Amanhã é Dia dos Pais. Que tal fazer uma receita bem especial para o seu herói? Que tal preparar um dos coquetéis mais famosos do mundo, o Bloody Mary, para celebrar a ocasião? A nutricionista Indianara Coimbra, da Trebeschi Tomates, disse que o coquetel é sofisticado, saboroso e ainda ajuda na cura da ressaca (graças às propriedades nutritivas do suco de tomate).
Bloody Mary
Rende: 1600 ml / 8 copos
Calorias: 200 kcals / copo
Dica: Servir em taças com azeitona no fundo = Martini

INGREDIENTES
1kg de tomate Longa Vida Trebeschi, maduros
500ml de água
2 copos, tipo americano, de vodka
Cubos de gelo
Gotas de vinho xerez seco, a gosto
Suco de 1/2 limão Siciliano
Gotas de molho de pimenta a gosto
Gotas de molho inglês a gosto
1 pitada de sal
1 pitada de pimenta-do-reino
1 ramo de aipo para decorar
1 rodela de limão para decorar

MODO DE PREPARO
Prepare o suco de tomates liquidificando a polpa dos tomates, sem as sementes e a água. Coloque o gelo numa coqueteleira ou copo grande. Despeje a vodka e o suco de tomate. Adicione o vinho xerez e o suco de limão por cima. Pingue algumas gotas de molho de pimenta e de molho inglês e, por fim, polvilhe com o sal e a pimenta. Tampe e chacoalhe bem. Coe o coquetel, usando um coador de cozinha, e despeje num copo alto. Decore com o aipo e a rodela de limão antes de servir.
A origem
Segundo a nutricionista Indianara Coimbra, da Trebeschi Tomates, o tradicional Bloody Mary tem um nome dramático: "Maria Sangrenta". E remete ao aspecto vermelho da bebida. Salgado e apimentado, o coquetel tem mais de uma versão sobre sua origem. Uma delas é a de que foi criada por Bertin Azimont, do Hôtel Ritz Paris, a pedido do escritor Ernest Hemingway, que queria uma bebida sem odor, para que a esposa dele não percebesse; uma outra versão é a de que ela foi criada inicialmente nos anos 20, por Ferdinand Petiot, barman do "Harry's Bar", também de Paris, a pedidos de americanos - que queriam levar aos Estados Unidos uma bebida com aparência e fragrância que escondessem o teor alcoólico (já que o país era submetido à Lei Seca).