OK
Close

Abertura de CP será votada terça

TODODIA Express

ANDRÉ ROSSI PAULÍNIA | 28/07/2017-22:01:01 Atualizado em 28/07/2017-22:01:07
Reprodução | Facebook
DIXON | "Total convicção da lisura dos processos", diz prefeitura

A Câmara de Paulínia votará na sessão de terça o pedido de abertura de CP (Comissão Processante) contra o prefeito Dixon Carvalho (PP). A Procuradoria do Legislativo deu parecer que o pedido de abertura de CP tem embasamento jurídico, e por isso a votação de abertura foi liberada.
A denúncia partiu do ex-candidato a vereador pelo PSDC Eduardo Evangelista Figueiredo, que acusa o atual prefeito de enriquecimento ilícito, falsidade ideológica, fraude em contratação emergencial, superfaturamento e lavagem de dinheiro. O pedido do denunciante para que ele fosse afastado foi negado.
De acordo com a Assessoria de Imprensa da Câmara, é necessária maioria simples para que a CP seja aberta. Ou seja, dos 15 vereadores, oito precisam votar a favor. O presidente da Casa só vota em caso de empate.
Se os parlamentares acatarem, serão escolhidos via sorteio três vereadores para integrarem a CP, que terá 90 dias para apresentar o relatório final. Não será necessário o afastamento do prefeito enquanto a CP estiver em andamento. Se a CP não obter número suficiente para sua abertura, arquiva-se a denúncia.
EVIDÊNCIAS
O vereador Kiko Meschiati (PRB), que faz oposição ao prefeito, afirma que analisou as denúncias junto com seu advogado e apontou que existem "fortíssimas evidências" de enriquecimento ilícito. "Está bem fundamentado, bem explícito que houve um suposto enriquecimento ilícito", afirmou.
O parlamentar disse que os vereadores não estão discutindo de forma conjunta o caso. "Não conversei com ninguém, até porque é uma coisa mais reservada. Cada voto é soberano, cada um tem um posicionamento. Eu torço para que dê tudo certo. Quem perde é a cidade. Ninguém ganha com isso", afirmou kiko.
O vereador Tiguila Paes (PPS), também oposição ao atual governo, afirma que votará a favor da abertura da CP. "(...) O papel do Poder Legislativo não é varrer nada para debaixo do tapete, mas sim fiscalizar e apurar fatos relevantes. (...) Espero que todos os meus colegas de Casa sigam essa linha, pois também estaremos dando ao prefeito a oportunidade de se defender e, principalmente, esclarecer todas as questões transformadas na denúncia", afirmou.

Leia Mais