OK
Close

Quem é o palhaço nesse circo?

Lance Livre por Claudio Gioria

Claudio Gioria | Editor-chefe do TODODIA e escreve aos sábados - 23/06/2017-23:26:34 Atualizado em 23/06/2017-23:26:30

"As fontes envolvidas no processo jurídico contactadas por A Bola asseguram, sejam advogados de Ronaldo ou advogados do Real Madrid (...), e ainda todos os juristas identificados com o assunto (...) têm garantido que deve o jogador estar tranquilo no processo por considerarem que nada do que foi feito... foi feito à margem da lei, e que por isso em circunstância alguma se poderia culpar Ronaldo".
Esse é um trecho da reportagem do mais importante diário esportivo de Portugal, A Bola, de sexta retrasada. Foi A Bola que deu o furo: Cristiano Ronaldo não quer mais jogar na Espanha, irritado com as investigações do Fisco espanhol sobre os seus rendimentos.
A notícia correu o mundo, sem esse trecho da apuração do jornal. Correu apenas o principal, de que ele estaria cansado de ser o "palhaço do circo" e todo aquele blá-blá-blá, mi-mi-mi, chororô ou qualquer outra junção de três sílabas que tenha o mesmo sentido.
Como Cristiano Ronaldo não veio a público desmentir o que foi publicado, ficamos com a notícia do jornal.
A polêmica gira em torno de uma mudança na tributação dos direitos de imagem, previamente acordada entre governo e clubes. Para resumir, essa alteração passou a proteger as agremiações e desproteger os jogadores.
Se existem entendimentos diferentes, está aí a Justiça para resolver.
Isso não torna Cristiano Ronaldo um criminoso, um marginal. A Justiça vai definir quem tem o entendimento correto e, consequentemente, se ele deve algo ou não. Simples assim.
Se ele tem suas razões e está cercado de gente que também entende que ele tem razão, como apontou a apuração de A Bola, melhor ainda para ele porque assim tem condições de mostrar que, na pior das hipóteses, não houve dolo em burlar o sistema. Isso por si só já o torna "inocente" perante a opinião pública, mesmo porque uns milhões a mais ou a menos de multa e imposto não o farão deixar de passear em iate nem comprometer o futuro de seu filho.
Esse problema, o do dinheiro em si, é entre Cristiano Ronaldo e o Fisco espanhol, mais ninguém.
Mas o problema ganha outros ares quando o astro ameaça deixar a Espanha e, consequentemente, o Real Madrid, mesmo que isso tenha sido feito entre quatro paredes. Exatamente o mesmo que fez recentemente o pai de Neymar, falando pelo filho, também por problemas fiscais, essa pior ainda por ser uma manifestação pública.
A aparente pressão para que alguém resolva o problema beira o ridículo. Soa como "ou vocês resolvem esse problema ou não terão mais o privilégio de me ver jogando".
Ora, vá plantar batata em Portugal.
Que ele se acha o centro do mundo, não há quem duvide. Que ele foi o jogador mais decisivo até agora este ano e caminha a passos largos para ganhar mais uma justa Bola de Ouro, também não. Mas se na Espanha ele se sente injustiçado, perseguido ou o diabo a quatro, não precisa ameaçar (e ele, repito, não desmentiu a informação). É pequeno demais para um jogador deste tamanho.
Que rompa o contrato, diga os motivos e vá jogar na China, Marte, Júpiter, Inglaterra ou em qualquer lugar que tenha um estádio com telão e que isente celebridades de serem questionadas como qualquer pessoa comum.
Tem hora que jogador de futebol-celebridade dá no saco.
Curta
ARTILHEIROS MÁXIMOS
Em setembro de 2015 escrevi uma coluna sobre a avalanche de novos artilheiros máximos em seleções nacionais (http://bit.ly/2tUge13). Para atualizar, de lá pra cá, a lista aumentou com Chicarito Hernandez (México), Messi (Argentina), Falcao Garcia (Colômbia) e nesta semana ganhou um novo membro, Alexis Sanchez (Chile), com o gol que marcou no empate contra a Alemanha.

Leia Mais