OK
Close

Participantes protestam contra o presidente Michel Temer na Avenida Paulista

Brasil e Mundo

FOLHAPRESS SÃO PAULO | 18/06/2017-20:37:00 Atualizado em 18/06/2017-20:36:52
Captura de tela
PAULISTA | Ao menos 16 carros de som cruzaram a avenida

O público da 21ª edição da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo aproveitou o dia para protestar contra o governo Temer na Avenida Paulista. No início da tarde de ontem, militantes ofereciam panfletos com os dizeres "LGBT sem Temer", que foram bastante disputados.
"Parada não é só zoeira. Vamos protestar contra o governo Temer que está acabando com o nosso país", disse uma adolescente de 14 anos.
A vendedora Lais da Silva Rinaldi, 30, participa pela primeira vez da parada e também se posicionou contra o presidente Michel Temer. "Vou gritar muito 'Fora, Temer'".
A organização da 21º Parada do Orgulho LGBT esperava atrair 3 milhões de pessoas ontem na avenida Paulista. No ano passado, quando organizadores fizeram a mesma previsão, a Polícia Militar estimou um público de 190 mil pessoas no horário de pico.
Ao menos 16 carros de som cruzaram a avenida em direção à rua da Consolação.
Pela primeira vez, foi organizada uma ala de deficientes físicos na frente do carro de som oficial da parada, o primeiro a desfilar. Segundo a organização, a iniciativa foi para permitir a participação de pessoas com mobilidade reduzida em um espaço separado da multidão. "Sempre quis vir, mas tinha receio por causa da muvuca", diz o cadeirante Leonidas Marques de Almeida, 52.
SHOW-RELÂMPAGO
Atração mais esperada desta edição da Parada LGBT, a cantora Anitta fez uma apresentação-relâmpago, com cerca de 20 minutos.
Ao final, ela se despediu do público e se desculpou por ter que ir embora tão rápido. "Foi uma palhinha mesmo, pessoal", disse. Segundo a organização, ela tinha que pegar um voo às 16h30.