OK
Close

Rogério estuda escalar Gilberto e Pratto juntos

Esportes

20/04/2017-23:34:47 Atualizado em 20/04/2017-23:34:29

As boas atuações do centroavante Gilberto, do São Paulo, têm rendido uma boa dor de cabeça ao técnico Rogério Ceni.
O artilheiro da temporada, com 11 gols, pede passagem e busca vaga na equipe titular ao lado de Lucas Pratto.
Antes reticente à ideia, Ceni já começa a olhar com um pouco mais de carinho para a possibilidade. "Eu não gosto particularmente de jogar com dois camisas nove, mas vou analisar um pouco melhor. Vou analisar o jogo do Corinthians para ver qual formação eles vão usar", explicou o treinador.
Gilberto tem merecido a vaga há algum tempo. No ano passado, teve sua contratação muito criticada, pois estava parado após romper contrato com o Chicago Fire, dos Estados Unidos.
Em campo, também não havia rendido: fez apenas dois gols em dez jogos. Nesta temporada, está empolgado, tendo balançado a rede 11 vezes em 14 partidas, uma média de 0,78 por duelo.
"Sobre escalação, acho que temos um treinador excelente, um cara de personalidade enorme. Ele sabe a hora de colocar e tirar os jogadores. Quando ele sentir que é minha hora, vai me colocar de novo", afirmou Gilberto.
Ele e Pratto ainda não foram titulares juntos. Quando o argentino era poupado ou estava com a Seleção, o brasileiro assumia a titularidade.
Gilberto, no entanto, não gosta de jogar pelos lados. Ele prefere ser mesmo referência dentro da área. Por isso, para a dupla estar em campo, o esquema tático precisaria mudar.
Em vez de usar o rotineiro 4-1-4-1, que varia para 4-3-3 (ou 4-2-3-1), o técnico teria de utilizar um 4-4-2.
O que faz Rogério Ceni pensar muito bem em escalar os dois jogadores juntos é que ele perderia uma opção de mudança de esquema do time para o segundo tempo.
Mesmo no seu limite físico, o volante Jucilei muito provavelmente vai ser escalado para o Majestoso. Jucilei não foi escalado como titular quarta, contra o Cruzeiro, para ser poupado. Entretanto, ele precisou entrar aos 20min do primeiro tempo, quando Bruno não aguentou e foi substituído. | FOLHAPRESS