OK
Close

Justiça bloqueia bens de Nogueira e Nilson Gaspar

Cidades

PEDRO HEIDERICH INDAIATUBA | 11/04/2017-23:43:31 Atualizado em 11/04/2017-23:43:25

O prefeito de Indaiatuba, Nilson Gaspar (PMDB), o ex-prefeito Reinaldo Nogueira e um empresário tiveram bens bloqueados por improbidade administrativa, anteontem, pelo TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo). O MPE (Ministério Público do Estado) entrou com ação contra os três, denunciando enriquecimento ilícito.
A Promotoria não divulgou os valores bloqueados e ou a identidade do empresário acusado. Segundo a denúncia, quando Nogueira era prefeito, a empresa Amplus venceu duas licitações na prefeitura e uma no SAE (Serviço de Água de Esgoto), pasta da qual Nilson Gaspar era o superintendente na época, que somavam cerca de R$ 5 milhões.
O MPE aponta que a empresa foi instalada em terreno que pertencia à ex-mulher de Nogueira. O cunhado do ex-prefeito começou a trabalhar para a empresa.
PRISÕES
Conforme a denúncia, o cunhado de Nogueira também atuava no suposto esquema de corrupção de desapropriações na cidade que culminou na prisão do ex-prefeito duas vezes, em 2016. A suspeita do MPE é que imóveis eram comprados a preço de mercado e tomados pela administração depois a preços superiores.
A investigação aponta que o esquema aconteceu entre junho de 2013 e outubro de 2015. Em uma operação dos promotores, em 2015, foi apreendido R$ 1,9 milhão no gabinete e na casa de Nogueira. Ele conseguiu na Justiça a permissão para deixar a penitenciária onde estava nas duas vezes.
As ligações para a Amplus não foram atendidas no início da noite de ontem. Reinaldo Nogueira também não atendeu as chamadas.
A diretoria de comunicação da Prefeitura de Indaiatuba declarou que, até o início da noite de ontem, o prefeito não foi notificado oficialmente da situação e "está aguardando para ter acesso aos documentos" para se pronunciar sobre o ocorrido.