OK
Close

Defesa de petista afirma que declaração é mentirosa

Brasil e Mundo

20/04/2017-23:34:28 Atualizado em 20/04/2017-23:34:16

O Instituto Lula e os advogados do ex-presidente chamaram de mentirosa a declaração de Léo Pinheiro sobre o pedido para destruir provas. Também disseram que a acusação foi combinada por procuradores para que eles aceitem o acordo de delação premiada que o empresário negocia com o órgão. "A versão fabricada de Pinheiro foi a ponto de criar um diálogo -não presenciado por ninguém- no qual Lula teria dado a fantasiosa e absurda orientação de destruição de provas sobre contribuições de campanha, tema que o próprio depoente reconheceu não ser objeto das conversas que mantinha com o ex-presidente", afirma nota de um dos advogados de Lula, Cristiano Zanin Martins.
Martins rebateu também a declaração do empreiteiro de que o tríplex do Guarujá é de Lula. A nota diz: "A afirmação de que o tríplex do Guarujá pertenceria a Lula é também incompatível com documentos da empresa, alguns deles assinados por Léo Pinheiro".
Para o advogado de Lula, o empresário "foi claramente incumbido de criar uma narrativa que sustentasse ser Lula o proprietário do chamado tríplex do Guarujá".
O Instituto Lula também diz que a acusação sobre destruição de provas "é desprovida de provas" . O advogado de Vaccari não foi achado. | FOLHAPRESS