OK
Close

Proposta para Previdência sofre novas mudanças

Brasil e Mundo

19/04/2017-23:03:19 Atualizado em 19/04/2017-23:03:17

A proposta de reforma da Previdência sofreu novas mudanças na Câmara que vão reduzir a economia esperada pelo governo, mas podem facilitar e abreviar sua aprovação pelo Congresso.
No dia em que apresentou seu parecer sobre a proposta do governo à comissão especial que trata do tema, o relator da reforma, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), apareceu com mudanças que surpreenderam até aliados do presidente Michel Temer.
Ontem, a equipe de Maia divulgou que a idade mínima da trabalhadora na área rural cairia dos 60 anos propostos no dia anterior pelo próprio relator para 57 anos. Para homens, foram mantidos os 60 anos praticados hoje.
Outra mudança na aposentadoria rural foi a decisão de manter em 15 anos o período de contribuição. O governo previa 25 anos, e o relator havia divulgado que reduziria para 20 anos. "Você acha que eu ia fazer o relatório e não ia fazer uma surpresinha?", ironizou Maia ao comentar as mudanças.
Integrantes do governo que participam das negociações em torno da nova Previdência relataram à reportagem que não havia acordo fechado para a alteração na idade mínima para a aposentadoria de trabalhadoras rurais. Segundo autoridades que participam da discussão, a decisão de manter o tempo de contribuição em 15 anos para a aposentadoria rural foi ainda mais surpreendente.
O governo já havia concordado em reduzir a idade mínima proposta para mulheres na aposentadoria urbana de 65 para 62 anos. Portanto, já esperava que o Congresso alterasse também o que foi proposto para a área rural. Essa foi uma demanda apresentada por senadores ao Planalto na terça. A redução do tempo de contribuição, no entanto, não era esperada.
| FOLHAPRESS