OK
Close

Bruno, ex-presidiário

A sua opinião

Alex Tanner | Servidor público Sumaré - 17/03/2017-00:25:32 Atualizado em 17/03/2017-00:25:21

O goleiro Bruno, preso desde 2010 e condenado a 22 anos de prisão, indiciado por mandar matar a amante, Eliza Samúdio, foi solto no final de fevereiro.
Bruno ganhou o direito à liberdade após quase 7 anos de prisão, pois sua condenação aconteceu em primeira instância, e como a defesa entrou com recurso em 2013 e ainda não foi julgado, ele tem direito de aguardar em liberdade.
Assim diz a lei e entende o ministro do STF. Pois bem, nas redes sociais e em comentários diversos, a maioria das pessoas ficou indignada com a liberdade do goleiro e com a contratação para jogar futebol no Boa Esporte de Varginha (MG).
Alguns patrocinadores deixaram o clube. Eu acho interessante a repercussão sobre o caso, pois todos ex-presidiários devem ter o direito de ressocialização ou convívio com a sociedade, e o trabalho faz parte do processo.
E o Bruno não tinha antecedentes, diferente de outros ex-presidiários que mataram muitos! Porém, alguns foram para igrejas e dão testemunhos da vida bandida e são admirados (aleluia), além dos "pregadores" da palavra. Reflexão: este caso só repercute porque Bruno é conhecido e jogador de futebol! Não é verdade?