OK
Close

Prefeitos e inadimplentes

A sua opinião

Dirceu Cardoso Gonçalves | Tenente da PM e dirigente da Aspomil - 03/03/2017-23:07:54 Atualizado em 03/03/2017-23:07:48

Os novos prefeitos, na maioria das cidades, receberam os cofres vazios e uma extensa lista de compromissos a cumprir. Não devem reclamar, pois ao se elegerem, já sabiam da crise e, para ganhar a eleição, prometeram enfrentá-la. A arrecadação caiu e, com isso, muitos municípios não têm os recursos suficientes nem para cumprir as suas obrigações básicas.
Essa situação leva, inevitavelmente, à corrida rumo aos devedores, muitos deles também atingidos pela baixa de produção ou pelo desemprego. Mesmo assim, os administradores municipais recorrem às campanhas de incentivo à arrecadação dos atrasados e, para isso, oferecem descontos e parcelamento a quem deixou de cumprir seu compromisso tributário no devido prazo. Todas as vezes que o governo lança um programa de perdão de multas e juros e parcelamento de débitos tributários, há uma grita partida dos contribuintes que pagaram em dia seus tributos e se veem em desvantagem frente aos inadimplentes.
Fala-se que o favorecimento fiscal é um incentivo ao mau pagador. Mas, mesmo assim, os administradores ainda não encontraram coisa melhor para fazer em busca dos recursos tributários sonegados. Se forem cobrar judicialmente todos os devedores, abarrotarão o fórum e não chegarão a lugar nenhum, pois uma ação demora para chegar à conclusão e via de regra acaba no parcelamento dos débitos.
É nos momentos difíceis que o bom administrador tem a grande oportunidade de ser reconhecido como tal.