OK
Close

Seleção tecnológica tem mastro de sete metros e 'Robocop'

Esportes

FOLHAPRESS SÃO PAULO | 20/03/2017-23:28:01 Atualizado em 20/03/2017-23:27:51
Mowa Press
TITE | Novidades tecnológicas a serviço da Seleção Brasileira

No vestiário da Arena das Dunas, em outubro, os jogadores da Seleção Brasileira comemoraram a vitória por 5 a 0 sobre a Bolívia, pelas Eliminatórias da Copa de 2018, de uma forma inusitada.
Sentados no chão, eles conversavam sobre a vitória vestindo imensas botas, que subiam até o quadril. Ligadas na energia, elas se inflavam e comprimiam as pernas dos atletas, que chamam o aparelho de "Robocop".
Quinta-feira, após o confronto contra o Uruguai, em Montevidéu, os jogadores serão submetido a uma nova sessão com o aparelho usado para prevenir lesões após a partida.
As botas de compressão são apenas mais uma das engenhocas que a comissão técnica de Tite começou a usar na Seleção Brasileira.
Além das botas, a equipe vai embarcar para o Uruguai com computadores instalados com uma série de programa para mapear a condição física dos atletas durante o jogo, o desempenho de cada um no gramado e o desenho tático do time brasileiro e da equipe adversária.
Até um mastro de sete metros de altura estará na bagagem do time para a viagem à Capital uruguaia. Na ponta da peça de metal, os auxiliares colocam uma câmera que registra toda a movimentação dos jogadores nos treinos.
O equipamento, que faz a edição do material em tempo real e também fotografa, é usado por times da Europa e serve para dar ao treinador um visão diferente dos atletas no campo. A câmera é guiada por um integrante da comissão na beira do campo.
O estafe da equipe brasileira vai levar ainda outras duas câmeras, que vão registrar a movimentação tática dos jogadores em todo o campo.
A seleção fará no Uruguai apenas um treino. Será na tarde de amanhã.