OK
Close

Clássico expõe ascensão de colombianos

Esportes

FOLHAPRESS SÃO PAULO | 18/03/2017-22:12:21 Atualizado em 18/03/2017-22:12:13

Irreverentes, promissores e simpáticos. É dessa maneira que os colombianos ganham cada vez mais espaço no futebol brasileiro. Atualmente, 14 jogadores do país defendem equipes da Série A do Campeonato Brasileiro. Hoje, quatro deles estarão em campo para o clássico entre Santos e Palmeiras, na Vila Belmiro, às 18h30, em partida válida pela nona rodada do Paulista. Do lado palmeirense, o zagueiro Yerry Mina e o atacante Miguel Borja tentam quebrar um jejum de quase seis anos sem vitória alviverde no estádio rival. No período, foram nove triunfos santistas e dois empates.
"É muito importante ganhar o clássico e seguir nesse caminho de vitória. Importante para a gente melhorar e seguir melhorando", afirmou Mina, autor do gol na vitória do Palmeiras sobre o Jorge Wilstermann pela Libertadores, na última quarta.
Do lado do Santos, Jonathan Copete e Vladimir Hernández precisam de um resultado positivo para aliviar a situação de sua equipe no Estadual. Na terceira posição do Grupo D, o clube está fora da zona de classificação. "Temos uma expectativa muito grande. Estamos trabalhando muito bem para fazer uma grande partida", disse Copete à reportagem. O atacante de 29 anos foi o autor do gol da última vitória santista sobre o Palmeiras, em outubro do ano passado. Apesar da dificuldade com a língua, os colombianos se sentem bem no futebol brasileiro. O estilo de jogo e os costumes semelhantes ajudam na rápida adaptação.
No caso de Copete, uma coisa em especial o fez se sentir mais a vontade: a culinária. Ainda tímido para falar e sempre à procura das melhores palavras para não se complicar, ele se solta quando o assunto é churrasco.
"A carne aqui no Brasil é muito boa. Uma das melhores do mundo. Isso me impressionou", afirmou. Já Mina se descontrai com a dança. Um dos mais animados do elenco, o zagueiro comemora seus gols com a Salsa Choke, um estilo musical típico de Tumaco, na Colômbia. Se balançar as redes no domingo, repetirá o compatriota Armero. Pelo Palmeiras, o lateral esquerdo, hoje no Bahia, marcou um gol na Vila Belmiro e dançou o "armeration", que ficou marcado na memória palmeirense.
"Para mim é importante, porque com isso demonstro minha alegria, a alegria da nossa equipe e a alegria de onde eu venho", disse Mina.