OK
Close

Saúde é o maior alvo de reclamações em Campinas

Cidades

GUILHERME MAZIEIRO CAMPINAS | 20/03/2017-22:43:51 Atualizado em 20/03/2017-22:43:43
Arquivo | TODODIA Imagem
HOSPITAL MÁRIO GATTI | Secretaria foi alvo de 1,4 mil queixas

A área de Saúde é a que teve maior reclamações feitas pela população, em Campinas, no ano passado. Segundo dados da Ouvidoria do município foram 1.443 queixas durante o ano, 36,87% do total de 3.913 avaliações negativas em 2016. No último quadrimestre, foram 308 queixas sobre os serviços desse setor. O número específico da Saúde representa 33,99% do total de 906 reclamações negativas no quarto trimestre de 2016.
A demora em marcar a consulta foi o fator com mais reclamações na cidade. A falta de médicos foi alvo de 202 queixas. A pasta de Saúde foi uma das que sofreu cortes no Orçamento de 2017. A Lei Orçamentária aprovada na Câmara, no final do ano passado, reduziu de R$ 1,23 bilhão para R$ 1,20 bilhão o valor destinado para o setor.
"Essas reclamações são o reflexo das restrições no atendimento que a secretaria (de Saúde) tem feito. A secretaria, ultimamente, fechou o pronto-socorro do centro", disse a presidente do Conselho Municipal de Saúde, Haydée Lima.
Ela ainda destacou que o município enfrenta uma crise devido à redução de coleta de exames laboratoriais, que ocorre desde a semana passada, e que houve redução no horário de atendimento de 11 Centros de Saúde. "Essas medidas que reduzem o atendimento só podem resultar em reclamações mesmo", considerou.
Em segundo lugar no ranking geral de reclamações está Serviços Públicos, com 894 queixas. Juntos, os dois primeiros setores correspondem a 59,72% de todas as reclamações. Já o terceiro colocado, a Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas), teve 293 recebimentos.
Serviços Públicos teve redução de 11,19% no Orçamento de 2017. O valor destinado à pasta caiu de R$ 450,9 milhões para R$ 400,4 milhões.
A prefeitura foi contatada, mas não se posicionou até o fechamento desta edição.