OK
Close

Vida marinha em casa

TodaGente

Texto | Claudete Campos Fotos | Divulgação | 09/03/2017-00:20:06 Atualizado em 11/03/2017-20:15:33

Uma das formas buscas para interação com a natureza é adquirir um aquário para criar peixes ornamentais e exóticos. Mas, como os peixes são seres vivos, são necessários cuidados especiais nessa criação. Por isso é sempre bom seguir as dicas dos comerciantes confiáveis, de amigos que já criam peixes e dos especialistas.
O aquarismo é um hobby e como tal enfrenta momentos de altos e baixos na procura, explica o comerciante Adalton José Martim, 35, da Sol Nascente Artigos para Pesca, Aquarismo e Pet, localizada no bairro Antonio Zanaga 2, em Americana. A veterinária Thaísa Russo Pardini, 29, da Clínica Veterinária Pets & Selvagens, informou que o primeiro passo para a criação de peixes em aquários é a escolha da espécie de peixes que a pessoa vai querer ter no seu aquário. O tamanho do aquário e os equipamentos como filtro, aquecedor, bomba e termostato são definidos após a escolha dos peixes. "Existem aquários para iniciantes, com peixes de água doce, e aquários que exigem uma atenção e dedicação maiores, com peixes de água tropical ou água salgada", informou Thaísa.
BETTA
Os pais que compram aquários para as crianças dão preferência à beteira, aquário para os peixes de água doce betta, informa Adalton Martim, comerciante do setor. É que é fácil de cuidar, porque não exige sistema de filtragem e nem de oxigenação e o custo é baixo. E pode ser limpo uma vez por semana no máximo. O peixe, o aquário com capacidade para dois litros de água e o produto ficam em R$ 50 no máximo. Há peixes comuns que custam de R$ 2 a R$ 20. "Os peixes de água salgada são muito difíceis de criar em cativeiro", alertou Martim.
FAÇA VOCÊ MESMO
Como montar um aquário
Antes de montar o aquário, deve conversar com profissional que irá indicar as espécies que podem ser colocadas juntas, a temperatura da água e o tamanho da população de peixes que cabe nele;
O local onde vai ficar o aquário deve ser tranquilo e iluminado, mas longe de luz solar direta ou frio extremo. Não deve nunca ser colocado sob chuva ou em lugares com fumaça, cheiros fortes ou que podem deixar resíduos dentro do aquário;
A limpeza nunca deve ser feita usando sabão. Deve ser usada apenas uma esponja para tirar toda a sujeira dos vidros e dos objetos que estão dentro dele. Os peixes devem ser retirados e colocados em um local limpo, no qual nunca foi usado sabão (evitar o resíduo e contaminação) e com água em temperatura ambiente e sem cloro;
Os aquários de água salgada ou tropical exigem muito mais cuidados e disciplina. É preciso verificar temperatura, pH, oxigênio, dióxido de carbono, cloro, amônia, entre outros, todos os dias, para manter os peixes vivos e saudáveis.
Fonte: Veterinária Thaísa Russo Pardini
Espécies mais comuns
Peixes Betta - Possuem diversas cores, são agressivos e podem ser mantidos em aquários pequenos e sozinhos. Vivem em torno de cinco anos quando bem cuidados. A alimentação indicada é a ração em floquinhos, oferecida em pequenas quantidades até duas vezes ao dia. Exige uma limpeza do aquário uma vez na semana, trocando metade da água por uma água tratada e livre de cloro. Não precisam de nenhum equipamento para sua manutenção.
Peixes dourados - Dóceis e não devem ser criados sozinhos. Precisam de aquários grandes, pois podem ficar grandes e vivem até dez anos. São alimentados duas vezes ao dia com ração em flocos própria rica em proteínas. Toda semana deve haver uma mudança de 10-20% da água, que deve ser tratada.
Peixes Tettras - São pequenos e as cores variam bastante, mas o principal padrão de cor é o prata com nadadeiras vermelhas. São peixes bem resistentes, podendo viver até dez anos. Precisam de aquários médios a pequenos, pois devem viver em grupos de pelo menos seis indivíduos. A alimentação é feita com duas vezes ao dia com ração própria.
Peixes Neon - Vivem bem em grupos grandes, pois gostam de viver em cardumes. O Aquário deve ter lugares com sombra e esconderijos. Se alimentados corretamente com rações próprias, na quantidade ideal para o cardume, podem viver até cinco anos.