OK
Close

FeijoaDown

Clube Gourmet

Texto | Claudete Campos Fotos | Ricardo Lilica e Lu Antônio | 17/03/2017-19:55:52 Atualizado em 17/03/2017-19:55:50

Os portadores de Síndrome de Down estão derrubando todas as barreiras. Até mesmo na gastronomia. A mais recente iniciativa de inclusão com envolvimento deles foi a FeijoaDown, realizada semana passada. Eles participaram de todo o processo de produção de uma feijoada para 200 pessoas, no restaurante Escuta o Cheiro , em Sousas, em Campinas. A ação social foi organizada pela Inclusione, Mano Down Campinas e Paladares.
Quem esteve à frente da cozinha foi o chef e professor de gastronomia Davi Furigo, que leciona no IFBG (Instituto Franco-Brasileiro de Gastronomia). Ele comandou a equipe de 16 jovens com síndrome de Down, responsáveis pelo pré-preparo dos ingredientes e pelo buffet da feijoada.
A terapeuta ocupacional Raquel Ortega, diretora da Clínica Inclusione e organizadora da Feijoadown, informou que esses 16 jovens participaram de todo o processo, da compra dos ingredientes no supermercado até o preparo, com o corte das carnes, a preparação dos temperos, entre outros.
E o intuito, disse Raquel, foi estimular a autonomia e desenvolver conceitos de matemática e organização espacial. "Foi uma grande ação que objetivou dar visibilidade à síndrome de Down neste mês em que se comemora o Dia Internacional da Síndrome de Down e vislumbrar possibilidades de inclusão no mercado de trabalho na área da gastronomia!", informou Raquel.
Para o chef, foi uma experiência única participar do evento. "É muito mágica a sensação de quando você percebe que realmente conseguiu vivenciar uma experiência que transcende a realidade, porque a inclusão superficial, aquela onde você tira fotos para propaganda, do que deveria ser feito e não acontece na prática, ela é muito distante de você realmente fazer uma ação onde você consegue envolver e acolher de uma forma efetiva e afetiva pessoas com deficiências", disse o chef.