OK
Close

Após 22 meses, mercado gera empregos

Brasil e Mundo

FOLHAPRESS BRASÍLIA | 16/03/2017-22:40:30 Atualizado em 16/03/2017-22:40:21
Marcos Corrêa | PR
TEMER | País criou 35, 6 mil postos de trabalho em fevereiro

Na tentativa de criar um pacote de notícias positivas para convencer o mercado de que a economia está "blindada" contra dificuldades políticas, o governo antecipou a divulgação dos primeiros dados positivos no mercado de trabalho em quase dois anos.
Em uma atitude pouco usual para um ocupante do cargo, o presidente Michel Temer anunciou pessoalmente ontem que o número de contratações formais superou a quantidade de demissões em fevereiro.
No esforço para atrelar seu nome a fatos positivos na área econômica, Temer também comentou a disputa de investidores estrangeiros por quatro aeroportos brasileiros nessa mesma data e a melhora na perspectiva da nota de crédito do Brasil pela agência de classificação Moody's.
Os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) mostraram a criação de 35,6 mil postos de trabalho formais (diferença entre contratações e demissões) no mês passado.
Desde março de 2015, o Ministério do Trabalho não registrava um dado positivo. "É um começo depois de 22 meses de números negativos. É importante porque eu penso em 35 mil brasileiros que têm, sem a possibilidade de trabalho, uma vida indigna", afirmou o presidente.
Desde que o número de empregos começou a cair, ainda no governo Dilma, os dados do Caged vinham sendo divulgados só pela Internet, sem a até então tradicional entrevista do ministro da área, abandonada em 2015.
De acordo com o próprio Ministério do Trabalho, desta vez foi realizado um "esforço maior para a divulgação" do número, diante do resultado positivo. Normalmente, o dado só sai no final do mês.
CAUTELA
O economista José Marcio Camargo, da Opus Gestão de Recursos, afirma que ainda vai demorar para o desemprego começar a cair, mas que o dado positivo é um sinal de que as reformas do governo estão dando resultado.
O economista André Perfeito, da Gradual Investimentos, discorda que a política econômica tenha influenciado o resultado de fevereiro e lembra que, nos últimos 12 meses, foram fechados 1,33 milhão de postos de trabalho.
A consultoria Tendências diz que o número positivo só foi possível devido a fatores típicos desta época do ano. Considera ainda que o mercado de trabalho vai melhorar de forma lenta no primeiro semestre e de maneira mais rápida nos seis meses seguintes.
Entre os fatores sazonais, está a contratação maior no setor de serviços, principalmente de professores no ensino estadual e municipal.
DESGASTES
Nos três primeiros dias da semana, o governo sofreu desgaste com uma série de notícias negativas, como a divulgação de nomes alvos de pedido de inquérito na Lava Jato e os protestos contra a reforma da Previdência.
Temer pediu a seus auxiliares que aproveitem para turbinar a agenda econômica. O Planalto também vai reforçar com a base aliada apelos para que a pauta econômica no Congresso seja mantida como prioridade.